Claro atinge 10,4 Gbps em teste de 5.5G ao ar livre

Com participação da Huawei, prova de conceito contou com 800 MHz de ondas milimétricas e frequências já usadas no 5G convencional, totalizando 1.070 MHz de banda
Claro atinge 10,4 Gbps em teste de 5.5G em Brasília
Claro realizou teste de 5.5G em Brasília (crédito: Freepik)

A Claro anunciou, nesta quarta-feira, 3, que atingiu a velocidade de 10,4 Gbps em teste de 5.5G (tecnologia também chamada de 5G Advanced). O experimento, realizado ao ar livre em Brasília, teve parceria da Huawei, que forneceu os equipamentos de rede de acesso da estação rádio base e software do núcleo principal da rede 5G standalone.

O 5.5G é uma tecnologia de meio de geração, entre o 5G e o futuro 6G. A velocidade mais alta obtida na Prova de Conceito (PoC), segundo a Claro, é aproximadamente dez vezes maior que o pico registrado no 5G convencional.

A tele informou que, quando a tecnologia estiver disponível comercialmente, a expectativa é de obter velocidades entre 6 Gbps e 9 Gbps em equipamentos compatíveis com a rede. Atualmente, a média de velocidade que o usuário alcança com o 5G é de 389 Mbps.

Para o teste, a Claro utilizou uma antena comercialmente ativa no Lago Sul, em Brasília, e dois modems de internet móvel para agregar as frequências, tendo em vista que não há smartphones disponíveis no mercado compatíveis com a rede de meio de geração. O experimento envolve o uso de 800 MHz de ondas milimétricas e frequências já utilizadas no 5G, totalizando 1.070 MHz de banda agregada para transmissão de dados. A operadora teve acesso a licenças de uso temporário.

Casos de uso

De acordo com a operadora, o 5.5G deve impulsionar aplicações como realidade aumentada e streaming em 8K, além de facilitar a disponibilização de internet em grandes eventos, como o carnaval. A expectativa é de que a tecnologia também habilite soluções de Internet das Coisas (IoT) e serviços para setores como logística, agro, indústria e saúde.

“A tecnologia evolui quando ampliamos a capacidade e a complexidade nos testes. E foi o que fizemos em Brasília. Tiramos a tecnologia das quatro paredes, do laboratório, e levamos o 5.5G para a rua”, diz Paulo Cesar Teixeira, CEO da unidade de Consumo e PME da Claro, em nota. “Certamente, há um caminho longo a ser percorrido, na evolução do 5G, na utilização das frequências, na disponibilização de equipamentos e no mercado. Mas são resultados importantes”, acrescentou.

Dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), até maio deste ano, mostram a Claro na liderança no 5G no País, com mais de 10,36 milhões de usuários.

Outros testes

Em ambientes diferentes e dispondo de bandas distintas, as concorrentes da Claro também já realizaram testes de 5.5G. A Vivo atingiu a velocidade de 6,7 Gbps em uma convenção de funcionários, enquanto o experimento da TIM, em um laboratório fechado, chegou a 11,6 Gbps.

Participantes da indústria de telecomunicações já manifestaram que a processo de padronização do 5.5G foi finalizado pelo 3GPP, organização responsável por definir os termos técnicos das gerações de telefonia celular. O Release 18, documento com as especificações, ainda não foi divulgado.

Avatar photo

Da Redação

A Momento Editorial nasceu em 2005. É fruto de mais de 20 anos de experiência jornalística nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e telecomunicações. Foi criada com a missão de produzir e disseminar informação sobre o papel das TICs na sociedade.

Artigos: 10693