Nova portabilidade digital da B3 tem pico de 7 mil pedidos em um mesmo dia

Por enquanto, 15 corretoras estão habilitadas a realizar portabilidade digital

B3 lança portabilidade digital de investimentos

A portabilidade de investimentos passou a ser digital na B3 desde o dia 9 de maio, permitindo a transferência gratuita de ações, fundos imobiliários, ETFs (fundos comprados em bolsa que acompanham um indicador de mercado, BDRs (recibos de ações de companhias estrangeiras) e outros ativos de renda variável entre contas de mesma titularidade. Desde então, o número de transações vem crescendo. “Ainda não temos um balanço definitivo, mas chegamos a observar mais de 7 mil pedidos de portabilidade em um único dia”, diz Vinicius Brancher, superintendente de Pessoas Físicas da B3.

Com a portabilidade digital, a operação é efetivada em até dois dias úteis. A adoção do processo digitalizado foi uma forma de diminuir as fricções do procedimento manual no pedido de transferências entre corretoras. De acordo com Brancher, a demora do procedimento manual, que envolvia a troca de documentos físicos entre o cliente e as corretoras, preenchimentos de informações sobre o portfólio e informações cadastrais de ambas as corretoras, além de coleta de assinaturas, tornava-se um desincentivo para a migração dos investimentos para a corretora de preferência do cliente.

“Esse trâmite mais longo motivava, até mesmo, vendas dos ativos com posterior recompra dos mesmos em outra corretora, gerando custos para o investidor”, conta Brancher.

Nas pesquisas feitas pela B3 com seus clientes, a bolsa detectou ainda que faltava ao processo o status mais objetivo do estágio em que se encontrava o pedido de portabilidade. “Nesse cenário, discutimos em conjunto com o mercado e a CVM (Comissão de Valores Mobiliários) a implementação de um novo processo, mais simples e integrado, que facilitasse a jornada do investidor”, explica o superintendente.

Antes de lançar oficialmente a portabilidade digital para todos os clientes, a B3 fez um período de testes, iniciado em julho de 2023. A fase beta teve início com a inclusão de clientes com até R$ 5 mil investidos em renda variável.

Gradualmente, a plataforma foi sendo liberada para mais investidores até o lançamento oficial. “Fizemos uma espécie de produção assistida que abrimos para um número mais restrito de investidores, para acompanharmos os feedbacks e a jornada end-to-end deles”, lembra Brancher.

15 corretoras tem portabilidade digital na B3

Nos últimos anos, o aumento da competitividade no mercado de investimentos levou as instituições a investir em melhorias de oferta de produtos, serviços e atendimento como forma de fidelizar seus clientes.

O avanço da digitalização é um dos resultados dessas melhorias e possibilitou que a B3 implementasse a portabilidade digital. “Observamos diversas iniciativas focadas na experiência digital, aumento das alternativas de investimentos para público do varejo e reduções de taxas. Dessa forma, o investidor avalia as opções existentes e opta por aquela instituição que melhor lhe convém”, explica Brancher.

Atualmente, 15 corretoras estão habilitadas a fazer a portabilidade digital na B3. São elas: Ágora Investimentos, Ativa Investimentos, BTG Pactual, C6 Bank, Clear Corretora, CM Capital, Genial Investimentos, Itaú Corretora, Mirae Investimentos, Rico Investimentos, Safra Corretora, Santander Corretora, Toro Investimentos, Warren Investimentos, XP Investimentos.

De acordo com a B3, qualquer corretora interessada em se conectar à funcionalidade, pode aderir ao serviço. Neste momento, outras quatro instituições financeiras estão em testes para liberar a portabilidade para seus clientes: Banco do Brasil, Guide, Master e PagBank. “Com a chegada dessas corretoras, devemos atingir mais de 80% do saldo total de renda variável dos investidores do varejo sendo passível de portabilidade digital entre as corretoras”, afirma Brancher.

Avatar photo

Simone Costa

Artigos: 36