Ausência das pequenas e pouco apetite das grandes faz leilão de 26 GHz arrecadar muito pouco

O leilão de hoje arrecadou apenas R$ 352,8 milhões. A Anatel calcula que cobrirá R$ 3 bilhões em obrigações para escolas. Faltam os outros R$ 3 bilhões previstos.

Designed by Freepik

O leilão de 26 GHz arrecadou muito menos do que o Tribunal de Contas da União (TCU) esperava, quando determinou que fossem destinados R$ 6 bilhões para a conexão das escolas. Com a maioria dos lotes ficando vazios, sem o apetite das grandes operadoras e o não comparecimento dos pequenos provedores esse espectro só consegui arrecadar R$ 352, 8 milhões. Com esse montante, a Anatel calculou que serão atendidos R$ 3 bilhões em cobertura para as escolas.

Agora, o governo e a Anatel precisarão  imaginar como irão fazer a conexão nas escolas públicas brasileiras, embora o ministro Fábio Faria insista que o 5G irá levar a conectividade para a maioria das escolas. Mas levar cobertura não significa levar a conectividade, como as escolas públicas hoje já sabem, visto que uma grande parte das escolas das capitais brasileiras já têm acesso à rede de 4G, mas não quer dizer que seus alunos e professores têm conexão de qualidade.

Em coletiva após o leilão de hoje, o ministro Fábio Faria antecipou que esta faixa, em mais um ano e meio, voltará a ser vendida ao mercado, mas não antecipou como isso ocorrerá.

 

Avatar photo

Miriam Aquino

Jornalista há mais de 30 anos, é diretora da Momento Editorial e responsável pela sucursal de Brasília. Especializou-se nas áreas de telecomunicações e de Tecnologia da Informação, e tem ampla experiência no acompanhamento de políticas públicas e dos assuntos regulatórios.
[email protected]

Artigos: 2174