‘Anatel não ficará inerte’ à cobrança da Enel no Ceará, diz Moreira

Moisés Moreira afirma que 'Anatel tomará medidas' para garantir preços justos e razoáveis, conforme prevê a LGT.

O conselheiro da Anatel Moisés Moreira criticou, nesta quarta-feira, 26, a cobrança de CTOs anunciada pela Enel do Ceará. Para ele, tal prática é “oportunismo” e garantiu reação por parte da agência.

O conselheiro afirma que a cobrança de pontos de fixação “encarecem ainda mais o acesso aos postes e inviabilizam o negócio de inúmeros pequenos que são quem estão levando essa capilaridade de banda larga para o país”.

Moreira citou que artigo da Lei Geral de Telecomunicações (LGT) define que “o compartilhamento é obrigação das distribuidoras de energia elétrica a preços justos e razoáveis”, portanto, “tal prática contraria as diretrizes legais e a Anatel não ficará inerte nesse momento”.

“Isso confirma para mim um verdadeiro oportunismo nesse momento em que estamos debatendo com muita seriedade, as duas agências [Anatel e Aneel], uma grande oportunidade de colocar um freio nessa bagunça e partir para um novo mundo, mais organizado, responsável, seguro. Então, esse oportunismo é intolerável e a Anatel está atenta e tomaremos providências, sim, fique certo disso”, disse Moreira durante o Conecta Brasil 2022, que debateu o compartilhamento de postes nesta quarta-feira, 26.

A cobrança

Na última semana, a Enel do Ceará comunicou aos ISPs do estado que passará a cobrar por equipamento instalado (CTOs) em postes a partir de novembro. A decisão assustou os provedores, que já preveem a inviabilização de centenas de empresas, além da alta do custo do serviço de internet para os cearenses.

Segundo o presidente do Link Cariri, Elgton Lucena, a comissão formada por associações de provedores tinha passado uma contraproposta à distribuidora, solicitando que qualquer decisão sobre a cobrança adicional esperasse a revisão da Resolução Conjunta da Anatel e Aneel. “Os textos já passaram por consulta púbica nas duas agências reguladoras”, afirma.

No entanto, a Enel não respondeu ao pedido. A última proposta passada pela distribuidora prevê a utilização de uma tabela de escalonamento onde, a medida que a proporção de CTOs/pontos aumenta, o fator multiplicador pelo preço do ponto, que determina a cobrança, diminui.

Compartilhamento de postes

Ainda durante o Conecta Brasil 2022, Moreira se posicionou contra a modicidade tarifária. “Eu sou totalmente contra, pra mim, ela tem que acabar, terminar. Acho que isso é consenso para a maioria de nós aqui. Isso encarece para o consumidor final”, afirmou.

Para o conselheiro, a potencial saída para o impasse entre o setor elétrico e de telecomunicações no compartilhamento de postes é o modelo de operador neutro, mas em sua opinião, não deve ser uma entidade sem fins lucrativos.

“Não é que ele deve ser totalmente neutro. Ele não deve ter vínculos com as distribuidoras de energia elétrica e nem com as empresas de telecomunicações, que ele seja realmente isento de todo o processo e ele tem que ter lucro, ganhar por isso. Ele vai fazer um trabalho de fiscalização, de limpeza, de regularização de toda bagunça que existe hoje”, afirmou.

Avatar photo

Carolina Cruz

Repórter com trajetória em redações da Rede Globo e Grupo Cofina. Atualmente na cobertura dos Três Poderes, em Brasília, e da inovação, onde ela estiver.

Artigos: 879