O refarming da faixa de 1,8 GHz deve estar concluído em 2020 no Brasil

A Anatel espera que as operadoras de celular substituam o serviço de voz em 2G e ponham no lugar a tecnologia 4G nessa frequência em três anos
(Foto de Ingo)
(Foto de Ingo)

Salvador – A Anatel tem a expectativa de que as operadoras façam completo refarming da frequência de 1,8 GHz até o ano de 2020, onde está atualmente a tecnologia GSM ( de segunda geração, 2G) e substituam essa tecnologia pela LTE, ou 4G. Segundo o gerente de frequência da agência, Agostinho Linhares, não será publicada qualquer norma obrigando  as empresas cumprirem essa data como prazo limite, mas os técnicos estão conversando com operadoras sobre o uso eficiente do espectro como um dos requisitos para a ampliação da capacidade espectral.

Segundo Linhares, com esse refarming – que está sendo encampado pelas operadoras, explicou,-  a tecnologia 2G ficaria restrita aos serviços de M2M e outras aplicações bem específicas. Na faixa de 800 MHz, assinalou ele, o refarming ainda não precisa ser feito porque a maioria das empresas ocupa esse espectro com a tecnologia WCDMA (ou  tecnologia 3G).

Quanto aos “White Spaces” – ou a destinação para o serviço de telecom da frequência não ocupada entre os canais analógicos de TV – Linhares explicou que a agência decidiu esperar pelo processo de digitalização dos sinais de televisão antes de se debruçar sobre o assunto.

A jornalista viajou a convite da UTCAL

Avatar photo

Miriam Aquino

Jornalista há mais de 30 anos, é diretora da Momento Editorial e responsável pela sucursal de Brasília. Especializou-se nas áreas de telecomunicações e de Tecnologia da Informação, e tem ampla experiência no acompanhamento de políticas públicas e dos assuntos regulatórios.
[email protected]

Artigos: 2194