100% da rede de fibra da American Tower usa energia solar

Empresa atingiu objetivo para a rede fixa no país, e pretende ampliar geração em cada torre móvel este ano
American Tower investiu 2 BI em soluções de energia
Uma das usinas produtoras de energia solar da CGC Energia, fornecedora para a American Tower (Foto: CGC Energia)

A detentora de infraestrutura e rede neutra American Tower divulgou esta semana seu relatório de sustentabilidade, no qual cita que 100% de sua rede de fibra, em Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e Goiás, utilizou energia solar ano passado. Ao todo, a infraestrutura consumiu 3 mil MWh em 2022. A rede óptica de acesso da companhia tinha, na virada do ano, 1 milhão de casas passadas (aptas a receber internet por fibra).

As usinas solares contratadas, em Frutal (MG), estão conectadas à rede pública de distribuição de energia elétrica, e foram desenvolvidas em parceria com a CGC Energia. Além da redução de custos, a inciativa prevê reduzir a emissão de 430 toneladas de CO² na atmosfera anualmente.

Em outras partes do mundo, a ATC investe na eletrificação de cada torre por painéis solares individuais. Com isso, alcançou capacidade de 87 MW de produção de energia solar graças à geração em 14,5 mil sites, meta que pretendia alcançar em 2025. Para este ano, pretende aumentar em 40% esse número, e passar de 100 GWh anuais  produzidos em suas torres.

Conforme mais torres ganham painéis, o investimento em energia solar ano a ano vai caindo por atingir os objetivos. Em 2022, a ATC dispendeu US$ 34 milhões nessa fonte de eletricidade, ante US$ 50 milhões em 2021.

O documento faz um apanhado de outras iniciativas da empresa de cunho social. Como parte do programa de investimento social, chamado de Comunidades Digitais, a American Tower abriu 124 novos locais em todo o mundo em 2022, que fornecem acesso à tecnologia e à conectividade em comunidades, elevando o total global para 445 em 15 países. Na América Latina, foram abertas 24 novas comunidades – sendo 4 no Brasil – com mais de 10 mil pessoas inscritas em um dos programas e 31 mil beneficiários indiretos.

“Na última década, nosso programa de Comunidades Digitais se concentrou em estabelecer um envolvimento estratégico entre parceiros públicos e privados para apoiar a igualdade digital em países da região”, diz Flavio Cardoso, CEO da American Tower para a América Latina.

Avatar photo

Rafael Bucco

Artigos: 4210