Viasat marca lançamento de satélite que cobrirá todas as Américas para 18 de abril

ViaSat-3 Americas é o primeiro de três equipamentos que devem fornecer banda larga em escala global
Satélite da Viasat deve prover banda larga a todas as Américas
Com foco nas Américas, satélite é o primeiro de três que a Viasat planeja pôr em órbita (crédito: Freepik)

A Viasat informou que o satélite ViaSat-3 Americas será lançado ao espaço sideral na próxima terça-feira, 18. O lançamento terá uma janela de aproximadamente uma hora, começando às 19h29 do horário da Flórida.

O satélite será posto em órbita por meio do foguete Falcon Heavy, da SpaceX, empresa do bilionário Elon Musk. O lançamento será feito do Complexo de Lançamento 39A (LC-39A), no Centro Espacial Kennedy, porto espacial da Nasa, em Cabo Canaveral.

“O satélite será enviado para uma órbita de transferência geoestacionário pelo veículo lançador e fornecerá serviços de banda larga a partir de um slot orbital localizado a 88,9° de longitude oeste”, diz a Viasat, em nota.

Segundo a provedora de banda larga via satélite, a classe ViaSat-3, com operações na banda Ka, deve fornecer a melhor economia de largura de banda do setor, com flexibilidade para mover e concentrar a capacidade de tráfego de dados virtualmente, direcionando a rede para qualquer lugar onde haja demanda.

O satélite agendado para ir ao espaço na semana que vem deve prover conectividade de banda larga para todo o continente americano, incluindo o Brasil. Vale lembrar que, em maio de 2021, o Conselho Diretor da Anatel autorizou a empresa norte-americana a explorar, por meio do ViaSat-3, o território brasileiro pelo prazo de 15 anos.

Além disso, a Viasat planeja lançar outros dois satélites da mesma classe. No momento, o ViaSat-3 EMEA (Europa, Oriente Média e África) está no ambiente de testes da fábrica da Boeing em El Segundo, na Califórnia.

Um terceiro satélite, com foco na região Ásia-Pacífico, deve completar a cobertura global da empresa. O equipamento ainda se encontra na fase de integração de carga útil, realizada nas instalações da Viasat em Tempe, no estado norte-americano do Arizona.

A constelação ViaSat-3, quando completa, deverá ter aproximadamente oito vezes mais capacidade do que a frota atual da empresa.

Avatar photo

Eduardo Vasconcelos

Jornalista e Economista

Artigos: 813