Velocidade média da banda larga móvel salta 51% em um ano

Medições do Speedtest reunidas pela Ookla mostram avanço desde a estreia do 5G Standalone no Brasil. Empresa compara qual das três operadoras nacionais tem rede mais rápida: Vivo, Claro ou TIM.

Freepik

A velocidade média para o download de dados da banda larga móvel brasileira saltou 51% em um ano, passando de 31,52 Mbps em setembro de 2022 para 47,02 Mbps em setembro de 2023. Os dados foram compilados pela consultoria Ookla com base nas medições feitas pelo seu site Speedtest. No período começou a ser implantado o 5G Standalone no Brasil.

Os números apontam que a velocidade média do upload móvel de dados cresceu, embora menos. Passou de 10,71 Mbps para 12,71 Mbps agora em setembro de 2023.

Quanto à latência e ao jitter (atraso na transmissão do dado, o que pode levar a perda de pacotes) médios, não houve mudança em um ano: seguem em 26 ms (milissegundos) e 8 ms.

Gráfico mostra a velocidade média da banda larga móvel em setembro no Brasil.
Gráfico mostra a velocidade média da banda larga móvel em setembro no Brasil. (Reprodução do site Speedtest Global Index)

No mundo

O salto na velocidade aproximou o Brasil da média de velocidade de download mundial, que em setembro de 2022 era de 33,17 Mbps, e agora está em 47,82 Mbps. Foi um avanço global, portanto, de 44%.

A média do upload, no mundo, ficou em 10,87 Mbps, ante 9 Mbps um ano atrás. Enquanto latência e jitter caíram 1 ms cada, para 27 e 9 ms respectivamente.

O país perdeu, porém, uma posição no ranking mensal global da Ookla, ficando no 51º lugar, logo abaixo da Itália, que subiu 10 posições, na comparação com agosto. Os cinco países com velocidade média mais alta coletada pelo Speedtest são: Emirados Árabes Unidos, Qatar, China, Kuwait e Macau, nesta ordem.

O país europeu mais bem qualificado é a Noruega, que caiu para a sexta colocação após o avanço de Macau.  A Coréia do Sul aparece em 10º, e os Estados Unidos em 15º.

Rede móvel mais rápida no trimestre no Brasil

A Ookla também voltou a comparar a velocidade das redes móveis das três operadoras nacionais no trimestre (não apenas em setembro). A Vivo apareceu como líder, com mediana de velocidade de download em 47,44 Mbps.

A Claro aparece em segundo, com mediana de download na internet móvel de 46,67 Mbps. E a TIM, em terceiro, com 43,34 Mbps.

A mediana é um cálculo diferente da média. Seleciona o ponto exato que representa o meio do total de medições realizadas. É considerada mais adequada para indicar em torno de qual velocidade se situa a maior parcela dos usuários. Apresenta, assim, a velocidade do “cliente típico” de uma operadora. Já a média é a soma de todas as medições seguida pela divisão pelo número de medições, o que tende a apresentar distorções (para cima ou para baixo) em relação à experiência vivenciada pela maioria das pessoas.

Consistência

Em termos de consistência do serviço, as três operadoras ficam virtualmente empatadas, avalia a Ookla, com 87,1% para Claro, 86,6% para a Vivo, e 84,8% para a TIM no trimestre.

Por consistência, a consultoria entende que são os acessos que atendem a requisitos mínimos o tempo todo de uso. São requisitos mínimos, segundo seus critérios, velocidade de download de ao menos 5 Mbps e de upload de 1 Mbps. Com isso, já é possível consumir vídeo de alta definição.

A Ookla tem parceria com a Anatel é tem suas medições consideradas pela agência para qualificação dos serviços de banda larga no país.

Avatar photo

Rafael Bucco

Artigos: 4234