Telefónica lucra com reestruturação da Telxius nos últimos cinco anos

Telefónica anunciou a recompra de ações e passou a ter 70% da Telxius - empresa que surgiu como fornecedora de infraestrutura móvel e de transmissão, mas saiu do mercado móvel no final de 2021.
Telefónica lucra com reestruturação da Telxius nos últimos cinco anos
Crédito: Freepik

O Grupo Telefónica avisou ontem, 1º, que vai recomprar as ações da empresa de infraestrutura Telxius que estavam nas mãos do fundo KKR. Significa que o grupo volta a possuir os 40% vendidos em 2017. Na época, o fundo norte-americano pagou € 1,27 bilhão (sem correção) pela fatia. Agora, revende toda a participação por apenas € 215,7 milhões.

O negócio foi selado em parceria com a sócia Pontagadea. Uma vez concluída a transação, a Telefónica, que tinha 50%, terá 70% da Telxius. A Pontagadea, que tinha 10%, ficará com os 30% restantes por meio da Pontel.

A Pontel é uma empresa criada por Telefónica e Pontagadea em 2018 para deter a participação na Telxius ao lado do KKR. A Telefónica sempre manteve o controle do negócio.

Embora o valor por 40% da Telxius tenha despencado entre 2017 e 2022, não significa que o fundo KKR saiu no prejuízo.

Vale lembrar que desde a Telxius se desfez de ativos, tendo já o KKR como acionista, que colheu os dividendos ao lado da operadora.

A Telxius vendeu seus 30 mil sites móveis espalhados por Brasil e Europa para a American Tower por  € 7,7 bilhões no final de 2021. Restou com a empresa uma rede de 13 cabos submarinos que soma 31 mil km de extensão, explorada no atacado, e que tem a própria Telefónica como principal cliente. E contratos para uso de outros 60 mil km em cabos subaquáticos de outras companhias.

O valor pago pelos 40% da KKR agora é também inferior ao valor que o próprio Pontagadea pagou por apenas 10% do negócio em 2018, quando desembolsou € 378,8 milhões.

Avatar photo

Rafael Bucco

Artigos: 4159