TCU cria Núcleo de Inteligência Artificial

De acordo com órgão, objetivo é implementar soluções de inteligência artificial na gestão pública.

 

TCU cria Núcleo de Inteligência Artificial
Foto: TCU

O Tribunal de Contas da União (TCU) anunciou nesta sexta-feira, 5, ca criação de um Núcleo de Inteligência Artificial, visando “fomentar o uso responsável e ético da tecnologia nas atividades” do órgão. O grupo está integrado à Secretaria de Tecnologia da Informação e Evolução Digital (Setid).

“A nova equipe […] tem como missão desenvolver e implementar soluções de inteligência artificial que possam contribuir para a melhoria da gestão pública e do atendimento ao cidadão, diante dos novos desafios surgidos com a popularização dessa tecnologia”, informa o órgão em nota.

O tribunal afirma que busca o máximo aproveitamento das potencialidades e benefícios da IA, projetando um crescimento exponencial do seu uso dentro da Corte de Contas nos próximos anos. Entre as atividades passíveis de aplicação, o órgão cita a automatização de processos complexos, detecção de padrões em grandes volumes de dados e previsões com alta precisão.

“Nesse sentido, um dos benefícios esperados com a ampliação do uso de inteligência artificial e aprendizagem de máquina (diretriz corporativa do eixo Tecnologia da Informação) é fazer frente à diminuição da força de trabalho no TCU, permitindo que a instituição tenha ganhos de qualidade com alta produtividade em áreas de maior demanda de controle externo, como instrução de tomada de contas especial e de atos de pessoal”, complementa em nota.

A equipe será composta de profissionais multidisciplinares, que acompanharão projetos de transformação digital dentro do tribunal. Há previsão de realização de treinamento dos servidores.

O Núcleo de Inteligência Artificial do TCU terá as seguintes competências:

  • Atuar na recomendação, pesquisa, avaliação, definição, tomada de decisões e no fornecimento de novas soluções que são ou possam ser providas por inteligência artificial;
  • Auxiliar na orientação aos usuários do Tribunal sobre o uso dos serviços de inteligência artificial;
  • Promover e apoiar iniciativas de comunicação, disseminação, adoção de boas práticas e lições aprendidas pelas equipes de projetos no uso de soluções relacionadas à inteligência artificial;
  • Prover, em conjunto com as demais unidades da secretaria, soluções de mineração de dados, aprendizagem de máquina, processamento de linguagem natural, entre outros métodos de análise de dados; e
  • Normatizar os padrões de uso dos serviços de inteligência artificial.
Avatar photo

Da Redação

A Momento Editorial nasceu em 2005. É fruto de mais de 20 anos de experiência jornalística nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e telecomunicações. Foi criada com a missão de produzir e disseminar informação sobre o papel das TICs na sociedade.

Artigos: 10523