Semicondutores: EUA restringe exportação para China

Novas regras fazem parte da estratégia norte-americana de liderar o mercado do setor. Governo anunciou medidas justificando 'proteger a segurança nacional dos EUA e os interesses de política externa'
Semicondutores: EUA restringe exportação para China
Questões geopolíticas colocam os semicondutores no centro do conflito entre China e os EUA como potências econômicas (Imagem: Freepik)

O Departamento de Comércio do governo dos Estados Unidos anunciou, nesta sexta-feira, 7, um pacote de restrições à exportação de insumos para fabricação de semicondutores e computação avançada para a China. A medida entra em vigor imediatamente.

As novas regras fazem parte da estratégia dos EUA de liderar o mercado de semicondutores. Em agosto, uma lei sancionada no país destinou 52 bilhões de dólares (aproximadamente, R$ 270 bilhões) em incentivos para empresas norte-americanas investirem no setor. Agora, o presidente Joe Biden quer garantir que a China não seja beneficiada indiretamente (saiba mais abaixo).

De acordo com o comunicado do governo, a nova política de exportação “implementa novos requisitos de licença” para itens destinados à produção de semicondutores na China.

“As licenças para instalações pertencentes a entidades da China enfrentarão uma ‘presunção de negação’ e as instalações pertencentes a multinacionais serão decididas caso a caso”, cita a medida.

As restrições valem para:

  • Chips FinFET ou GAAFET de 16nm ou 14nm, ou inferior;
  • Chips de memória DRAM de meio passo de 18nm ou menos; e
  • Chips de memória flash NAND com 128 camadas ou mais.

Está prevista para a próxima quinta-feira, 13, a publicação de uma norma específica às “pessoas do EUA” que estejam apoiando fabricação de semicondutores na China,

Para acessar o documento divulgado (em inglês), clique aqui.

Competição

Em nota, o Departamento de Comércio afirma que as medidas têm como objetivo “proteger a segurança nacional dos EUA e os interesses de política externa”.

A divulgação ocorre em meio às comemorações do Dia da Manufatura, celebrado com a presidente Biden na IBM, nesta quinta-feira, 6. Na ocasião, ele adiantou que tomaria medidas para que os recursos disponibilizados pelo governo norte-americano para a produção de semicondutores não venha a favorecer a China indiretamente.

“Vamos garantir que as empresas que recebem os dólares desses contribuintes não voltem e façam investimentos na China – investimentos que prejudicam nossas cadeias de suprimentos e a segurança nacional. Porque nesta lei, eu tenho o poder de retirar qualquer financiamento federal dessas empresas se elas não atenderem a esses requisitos”, afirmou Biden.

Avatar photo

Carolina Cruz

Repórter com trajetória em redações da Rede Globo e Grupo Cofina. Atualmente na cobertura dos Três Poderes, em Brasília, e da inovação, onde ela estiver.

Artigos: 881