Sebrae quer conceder crédito e cria sua própria fintech, a Sebraecred

O Sebrae Nacional já constituiu uma gerência específica para cuidar da nova fintech e espera iniciar a concessão de crédito ainda este ano.
Sebrae vai conceder crédito e cria sua própria fintech, a Sebraecred - Crédito: Divulgação
Sede do Sebrae Nacional em Brasília – Crédito: Divulgação

O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) prepara a criação de uma Sociedade de Crédito Direto (SCD), a Sebraecred. Em comunicado, o Banco Central divulgou que a instituição pretende constituir a fintech e disponibilizou ao mercado a publicação de eventuais objeções à entrada do Sebrae na oferta do crédito.

Sem querer divulgar detalhes sobre o processo, o Sebrae Nacional já trabalha com a capitalização do novo projeto e constituiu uma gerência específica para cuidar da nova fintech e espera iniciar a concessão de crédito ainda este ano, de acordo com fontes do Digital Money Informe.

Desde a sua constituição, há 50 anos, será a primeira vez que o Sebrae oferecerá a concessão de crédito. Até então, opera apenas como avalista pelo Fundo de Aval às Micro e Pequenas Empresas (Fampe).

O fundo de aval foi criado em 1995 e, segundo a instituição, em 2022, até agosto, o Fampe concedeu aval a 11,8% do crédito concedido a micro e pequenas empresas, o que totalizou R$ 42,3 bilhões.

São 20 instituições financeiras credenciadas para concederem financiamentos com as garantias do fundo de aval do Sebrae. Entre elas, destacam-se Caixa, Banco do Brasil, BRB, Sicoob, Sicredi, Banco Original, Banrisul, Banco Banese, entre outras.

Mercado promissor

Das cerca de 20 milhões de empresas registradas no país, 94% são de pequeno porte, segundo dados do governo federal, e o mercado de crédito é promissor.

De acordo com dados do Sebrae, a concessão de crédito para os pequenos negócios cresceu mais de 57% no segundo trimestre de 2022 em relação aos três primeiros meses do ano, chegando a R$ 92,8 bilhões. No total, de janeiro a junho, houve um acréscimo de 0,62% quando comparado ao mesmo período de 2021, totalizando R$ 151,9 bilhões concedidos em operações de crédito para Microempreendedores individuais (MEI), micro e pequenas empresas.

Na mesma esteira, o valor médio das operações também subiu significativamente, favorecido pelos programas emergenciais de crédito durante a pandemia. No começo de 2020, por exemplo, o valor médio das operações de crédito dos pequenos empreendimentos girava em R$ 10,3 mil. Agora, no segundo trimestre de 2022, atingiu quase R$ 18 mil.

Nesse contexto, as empresas de pequeno porte e os MEI foram os que mais realizaram operações de crédito, respondendo por um aumento 26,3% e 16%, respectivamente, entre o segundo trimestre de 2020 e o mesmo período deste ano. No montante final, o setor conta com um avanço de 14% na carteira de operações realizada nesse período analisado pelo Sebrae, partindo de 26,2 milhões e alcançando 29,3 milhões.

Avatar photo

Redação DMI

Artigos: 1783