SAS amplia parceria com Microsoft para desenvolver IA generativa analítica

Versão prévia da plataforma que combina ferramentas do SAS com serviço Azure OpenAI deve ser apresentada no quarto trimestre deste ano
SAS e Microsoft ampliam parceria para desenvolver IA generativa analítica
SAS e Microsoft trabalham no desenvolvimento de IA generativa para análise de dados (crédito: Freepik)

O SAS anunciou, nesta terça-feira, 12, a extensão de uma parceria com a Microsoft com foco na adoção de Inteligência Artificial (IA) generativa em soluções de análise de dados.

Em linhas gerais, as empresas planejam combinar em uma única plataforma as ferramentas de uso empresarial do SAS com a escala do serviço Azure OpenAI, o qual já conta com a inclusão do ChatGPT. Uma versão prévia do sistema deve ser apresentada no quarto trimestre deste ano.

Segundo as parceiras, a plataforma tem sido desenvolvida com o objetivo de aumentar a produtividade das empresas. Além disso, a IA generativa inclusa deve fornecer proteções confiáveis e seguras.

O SAS ainda informou que está trabalhando próximo a clientes para desenvolver fluxos de trabalho com IA generativa específicas para determinados setores, como bancos, seguros, manufatura, varejo e governo.

“A força dos grandes modelos de linguagem [LLM, na sigla em inglês] é a sua capacidade de criar experiências de conversação a partir de enormes conjuntos de dados; entretanto, eles não foram projetados para integrar cálculos quantitativos de sistemas empresariais”, afirma o SAS. “Este é o desafio crítico de última milha para o qual o SAS e a Microsoft estão formando parceria para resolver”, acrescenta a empresa.

Novas soluções

Em evento em Las Vegas, o SAS apresentou três novas soluções desenvolvidas com base em IA generativa: gerador de dados sintéticos, gêmeos digitais e LLM.

De acordo com a empresa, a plataforma de gêmeos digitais, por exemplo, foi projetada pra ser utilizada em manufaturas e na logística, enquanto a aplicação de geração de dados sintéticos se adequa aos setores bancários e de saúde. No caso do modelo de linguagem, a companhia destacou que pode ser aplicado na resolução de diversos problemas industriais.

“Realizar o valor da IA generativa requer profundo conhecimento da expertise da indústria, capacidades de IA de última geração e governança de ponta a ponta”, pontuou Bryan Harris, CTO do SAS, ao anunciar as ferramentas inteligentes.

Avatar photo

Eduardo Vasconcelos

Jornalista e Economista

Artigos: 839