Prefeitura do Rio vai retirar fios soltos dos postes da cidade

Iniciativa, orçada em pouco mais de R$ 2,5 milhões, pretende acabar com fiação elétrica e de telecomunicações exposta e sem uso; material não coletado pelas empresas irá a leilão
Iniciativa da Prefeitura do Rio de Janeiro visa a recolher fios soltos
Rio dá início a projeto para recolher fios soltos (crédito: Beth Santos/ Prefeitura do Rio)

A Prefeitura do Rio de Janeiro deu início, nesta terça-feira, 25, ao projeto Caça-Fios, iniciativa que visa a acabar com os fios soltos ou pendurados nos postes da cidade. A primeira ação ocorreu na Rua Rodrigues de Santana, em Benfica, nas proximidades do Super Centro Carioca de Saúde.

O projeto é viabilizado por meio da Rioluz, companhia municipal de iluminação pública, que organizou uma força-tarefa para eliminar as fiações que ficam soltas, partidas e caídas no chão em razão dos furtos de cabos das redes elétrica e de telecomunicações.

A empresa contratou sete caminhões cesto e um caminhão munk para recolher os fios pendurados nos postes e soltos pelas ruas da cidade. A licitação do serviço foi orçada em pouco mais de R$ 2,5 milhões, informou a prefeitura.

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, classificou de “desordem institucionalizada” as fiações abandonas por empresas dos setores de telefonia e energia. Paes também indicou que as companhias responsáveis pelos fios podem ser autuadas e multadas pela administração pública.

“É inaceitável uma agressão à paisagem urbana e que coloca em risco as pessoas. Volta e meia, vemos o caso de alguém eletrocutado porque um fio estava solto na cidade. Não vamos mais permitir que isso aconteça”, afirmou o prefeito.

Segundo o presidente da Rioluz, Paulo Cezar dos Santos, o projeto não deve causar nenhum tipo de interferência em cabos de energia e de telecomunicações em funcionamento.

“Nossa incumbência é arrumar os cabos que estão soltos e sem uso nos postes da cidade”, frisou.

Durante esta semana, os técnicos da Rioluz vão percorrer a cidade para realizar o trabalho. As subprefeituras do Rio ficam responsáveis por identificar os postes que precisam do serviço.

Os fios recolhidos serão encaminhados para o depósito da gerência de materiais em Marechal Hermes. As empresas terão 30 dias para recolher os materiais coletadas pela Rioluz. Os cabos que não forem recolhidos serão leiloados. A prefeitura informou que a verba será revertida para os cofres municipais. (Com assessoria de imprensa)

Avatar photo

Da Redação

A Momento Editorial nasceu em 2005. É fruto de mais de 20 anos de experiência jornalística nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e telecomunicações. Foi criada com a missão de produzir e disseminar informação sobre o papel das TICs na sociedade.

Artigos: 10510