Pós-pago ultrapassará pré-pago neste semestre, prevê Anatel

O Brasil fechou 2019 com 226 milhões de celulares em serviço, queda de 20% em quatro anos. Mas os planos com conta irão ultrapassar o pré-pagos.

A assessoria técnica da Anatel concluiu a análise sobre o desempenho do mercado brasileiro de  telefonia móvel do último trimestre de 2019 e projeta que os planos de celular pós-pagos deverão ultrapassar os plano pré-pagos no primeiro trimestre de 2020. As projeções, é claro, não previram a chegada da epidemia do Covid-19 e  seus efeitos sobre a economia.

Mas, conforme o estudo da agência, assinado pelo chefe da assessoria, Humberto Silva, o Brasil encerrou o ano de 2019 com 226 milhões de celulares em serviço, dos quais 51,63% pré-pagos e 48,37% pós-pagos.

Com a mudança no comportamento do consumidor e na oferta dos planos das operadoras, que deixaram de apostar no efeito “clube” e no número indefinido de chips a serem distribuídos, a partir da queda da tarifa de interconexão da rede móvel (conhecida como VU-M), a base de celulares com conta passou a crescer nos últimos dois anos. “A continuar tal tendência existe uma possibilidade de que uma inversão de maioria de perfil de consumo aconteça no primeiro trimestre de 2020”, analisa o relatório.

Queda de clientes

Mas se os celulares com contas serão em maior número do que os pré-pagos, o fato é que a base de chips móveis em serviço continua caindo. Motivada por questões setoriais mas também por questões econômicas.

O ápice do mercado de telefonia móvel brasileiro se deu no primeiro trimestre de 2015. De lá para cá, a queda da base foi de 20, 02%, conforme o estudo.

Avatar photo

Miriam Aquino

Jornalista há mais de 30 anos, é diretora da Momento Editorial e responsável pela sucursal de Brasília. Especializou-se nas áreas de telecomunicações e de Tecnologia da Informação, e tem ampla experiência no acompanhamento de políticas públicas e dos assuntos regulatórios.
[email protected]

Artigos: 2156