Perda cambial faz lucro da América Móvil cair 31% no 3T19

A desvalorização cambial dos pesos da Argentina e Colômbia afetaram os lucros do grupo

A América Móvil, dona da Claro (que reúne as operações de TV paga, celular e fixo, além da Embratel) , registrou hoje, 15, lucro de 13 bilhões de pesos mexicanos, queda de 31% em relação ao mesmo período de 2018, quando o lucro líquido foi de 18,8 bilhões de pesos mexicanos. Conforme o balanço apresentado, a queda nos lucros foi motivada pelo incremento dos custos financeiros provocados principalmente pela desvalorização das moedas da Argentina e da Colômbia, frente ao dólar norte-americano.

A operadora apurou receitas de 248 bilhões de pesos mexicanos, estável em relação ao mesmo período de 2018. O Ebitda  atingiu 78,8 bilhões de pesos mexicanos. Os serviços móveis e a banda larga fixa continuam a ser os que crescem nos países atendidos pelo grupo.

A América Móvil fechou o trimestre com 278 milhões de clientes de celular e 84,3 milhões de assinantes de linhas fixas. O Brasil é o segundo maior mercado de celular do grupo, com 56,4 milhões de clientes de celular, e o primeiro em linhas fixas, com 34,4 milhões de clientes.

Avatar photo

Da Redação

A Momento Editorial nasceu em 2005. É fruto de mais de 20 anos de experiência jornalística nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e telecomunicações. Foi criada com a missão de produzir e disseminar informação sobre o papel das TICs na sociedade.

Artigos: 10521