Oi perde 270 mil clientes em um ano e pode ser comprada por quase metade do valor pretendido

Comenta-se no mercado que as ofertas giram em torno de R$ 700 a R$ 800 por cliente. No acordo com a V.Tal cada cliente seu estaria valendo R$ 1,54 mil, mas os credores preferem cash a ações da V.Tal.

O leilão de venda da base dos clientes de banda larga da Oi, marcado pela justiça para o dia 17 de julho, poderá injetar os recursos necessários para dar mais um fôlego à operadora e acalmar seus credores. A empresa vai ter uma folga por mais algum tempo com a aprovação do acordo para o fim da concessão de telefonia fixa, marcado pelo TCU para o próximo dia 03 de julho. Mas a venda de sua base de clientes de banda larga fixa poderá arrecadar bem menos recursos do que o valor inicialmente estimado pela empresa.

Na operação de venda,  segundo a justiça, se o valor for menor do que os R$ 7,3 bilhões que foram acertados com a V.Tal,  essa oferta em dinheiro deverá ser analisada pelos credores em 12 dias. Conforme fontes do mercado, as propostas apresentadas trazem preços  bem menores do que a valoração inicial e tendem a ser aceitos pelos credores, que não estão interessados em receber ações da V.tal, mas sim, cash.

Pelo valor acordado com a V.Tal, a base de 4,73 milhões de clientes da Oi estaria sendo vendida por R$ 1,54 mil por cliente (valor já menor do que está sendo praticado nos movimentos de M&A de ISPs, cujos preços negociados estão na casa de R$ 2,5 mil por Pop). Mas, conforme fontes do mercado, as ofertas feitas pela base da Oi giram em torno de R$ 700 a R$ 800 por Pop.

A razão para a oferta de preços inferiores ao que a empresa previa se deve à fragilidade da Oi frente aos concorrentes, que miram justamente em sua clientela. Além disso, há o contrato firmado com a V.Tal, que, na avaliação dos interessados, aumenta muito o prazo do pay back da operação. Conforme a contabilidade do mercado, a Oi está cobrando de seu cliente final o preço de R$ 85,00 mensais. Mas estaria pagando R$ 38,00 por cliente para a V.Tal. Com o acréscimo do imposto de 22%, no final, receberia apenas R$ 29 por cliente. ” Significa que seriam necessários pelo menos 35 meses de pay back”, sintetiza um executivo.

Além disso, o desempenho da operadora na disputa do mercado da banda larga fixa só tem piorado. A Oi perdeu, de abril do ano passado, a abril deste ano, 270 mil clientes. Segundo a Anatel, em 2024  saíram da operadora 14 mil clientes em janeiro; 21,6 mil em fevereiro; 10 mil em março; e 16 mil em abril. ” A Oi fibra está sofrendo agora o ataque que a Oi cobre sofria. Todo mundo procurando a sua clientela”, assinalou um executivo que está ampliando sua rede para mais sete cidades onde a Oi atua.

Avatar photo

Miriam Aquino

Jornalista há mais de 30 anos, é diretora da Momento Editorial e responsável pela sucursal de Brasília. Especializou-se nas áreas de telecomunicações e de Tecnologia da Informação, e tem ampla experiência no acompanhamento de políticas públicas e dos assuntos regulatórios.
[email protected]

Artigos: 2224