Oi convoca nova assembleia de acionistas

Nova AGOE acontece em 12 de maio, com ou sem quórum mínimo. Em pauta, aprovação do novo pedido de recuperação judicial pela operadora e aval aos atos da diretoria

Crédito: Freepik

A Oi convocou, pela segunda vez, acionistas para a assembleia ordinária e extraordinária que vai acontecer em 12 de maio. Marcada para a última sexta-feira, 28, a AGOE não aconteceu por falta de quórum mínimo. A próxima se dará independe da quantidade de participantes.

A pauta prevê a apreciação das contas da operadora em 2022, a remuneração dos administradores, eleição do conselho fiscal e dos suplentes, bem como sua remuneração.

A votação mais importante acontece na assembleia extraordinária, na qual os acionistas vão dizer de ratificam ou não o pedido de recuperação judicial da Oi do dia 1º de março de 2023. Também devem opinar sobre autorizar a administração da companhia a “tomar providências e praticar os atos necessários com relação à recuperação judicial, bem como ratificando todos os atos tomados até esta data”.

A participação poderá se dar presencialmente, por procurador ou digitalmente, mediante inscrição até 10 de maio.

“Maior transformação corporativa da economia brasileira”

No manual de convocação, a diretoria da Oi não deixa de ressaltar a importância da aprovação tanto do encerramento da primeira recuperação judicial, em 2022, como o início da segunda, em março de 2023. “A Companhia finalizou etapas importantes de um gigantesco processo de transformação, sem dúvida a maior transformação corporativa em curso na economia brasileira”, afirmam.

A nova RJ, dizem, é vital para a empresa reestruturar suas dívidas em “busca da sustentabilidade de longo prazo”. A empresa destaca que já tem um acordo prévio fechado com seus principais credores financeiros para a reestruturação da dívida.

No documento, diz ainda que a próxima fase da Oi terá “simplificação drástica do modelo operacional”, tornando a empresa “mais leve, ágil e eficiente”.

Avatar photo

Rafael Bucco

Artigos: 4150