O3B tem autorização para novas faixas de radiofrequência

Preço público para exploração foi fixado em R$ 102,6 mil. Novas faixas autorizadas são de 19,3 GHz a 19,7 GHz e 29,1 GHz a 29,5 GHz.
O3B tem autorização para novas faixas de radiofrequências
Anatel já autorizou 3 adições de faixas de radiofrequência para O3B. (Crédito: Freepik)

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) autorizou a adição de novas faixas de radiofrequência ao sistema de satélites não geoestacionários O3B. O acórdão com a decisão foi publicado no Diário Oficial da União nesta terça-feira, 13.

O preço público para a exploração foi fixado em R$ 102,6 mil. As novas faixas autorizadas são de 19,3 GHz a 19,7 GHz e 29,1 GHz a 29,5 GHz (veja detalhes mais abaixo).

Este é o segundo acréscimo de faixas de radiofrequências autorizado pela Anatel à O3B.  A empresa conferiu o Direito de Exploração em outubro de 2013, com vigência até novembro de 2023 e teve a primeira adição já no ano seguinte. As frequências já em operação são:

Subida Descida
freq. inicial (MHz) freq. final (MHz) Polarização  freq. inicial (MHz) freq. final (MHz) Polarização 
27.500 29.100 RHCP/LHCP 17.700 18.600 RHCP/LHCP
      18.800 19.300 RHCP/LHCP
29.500 30.000 RHCP/LHCP 19.700 20.200 RHCP/LHCP

 

Novas faixas de radiofrequência

O mais recente pedido de acréscimo foi registrado pela O3B Limited em dezembro de 2021, por meio de sua representante legal, a New Skies Satellites (SES). A solicitação considera o prazo do Direito de Exploração já em vigor. 

A justificativa apresentada pela empresa para a ampliação, de acordo com relatório da Anatel, é a implantação da próxima geração de satélites Medium Earth Orbit (MEO) de alta capacidade e baixa latência, o sistema O3B mPOWER, que é uma evolução técnica da constelação O3B “Classic”.

A expectativa da empresa com a inclusão de novas faixas é estabelecer “um sistema de comunicações por satélite de maior capacidade, possibilitando o atendimento de clientes que exigem alta taxa de transferência e conectividade de dados de baixa latência, mas que têm limitações de rede terrestre”.

O parecer favorável da área técnica da Anatel ressaltou que a O3B deve “possuir filtros de recepção apropriados, a fim de se protegerem contra interferências prejudiciais provenientes de emissões em faixas próximas dos enlaces de descida, que estejam operando conforme regulamentação”.

As faixas adicionais autorizadas são:

Subida

Descida
freq. inicial (MHz) freq. final (MHz) Polarização  freq. inicial (MHz) freq. final (MHz)

Polarização 

29.100 29.500 RHCP/LHCP 19.300 19.700

RHCP/LHCP

Avatar photo

Da Redação

A Momento Editorial nasceu em 2005. É fruto de mais de 20 anos de experiência jornalística nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e telecomunicações. Foi criada com a missão de produzir e disseminar informação sobre o papel das TICs na sociedade.

Artigos: 10589