Mediatek se mantém à frente em venda de chips para smartphones no Brasil

Taiwanesa Mediatek se mantém há 30 meses com market share acima de 30% no Brasil e prevê que, no fim de março de 2024, as vendas de smartphones 5G vão superar as de modelos 4G

Samir Vani, diretor de desenvolvimento de negócios da MediaTek para a América Latina

A fabricante de semicondutores MediaTek se manteve como principal vendedora de chips para smartphones do Brasil em 2023, com 30% do mercado brasileiro. Os dados são da consultoria IDC e foram apresentados por Samir Vani (foto), diretor de desenvolvimento de negócios da companhia para a América Latina.

Segundo o executivo, a empresa soma 30 meses como primeira colocada em vendas no país. Seus componentes equipam mais de 20 dispositivos comercializados por aqui.

“Tivemos um ano muito bom para a MediaTek, mantendo nossa liderança de mercado, apresentando novos processadores com tecnologia de ponta, seja para equipamentos intermediários 5G como para os smartphones flagship, e com investimento em novas tecnologias, como Wi-Fi 7, 5G e NTN”, ressaltou o executivo.

Os dados de mercado foram apresentados durante evento hoje,29, em São Paulo com executivos da empresa e com parceiros como Motorola, Lenovo e Bulllitt. Ali, comentaram as perspectivas para 2024.

Segundo Vani, no final do primeiro trimestre de 2024 as vendas de smartphones 5G vão ultrapassar as de dispositivos 4G, cujas vendas estão declinando. Ano que vem, espera-se aumento de 1,3% nas vendas de smartphones no Brasil. Aumento este puxado pelos aparelhos de quinta geração: as vendas da categoria devem crescer 29% ano que vem.

Também ano que vem começam as vendas de celulares equipados com no Brasil com modens Mediatek WiFi 6E e 7 da empresa e com plataformas RedCap, destinadas a vestíveis e IoT. Além disso, a empresa está já testando, com operadoras locais, modelos de CPEs FWA, mas diz que tais trabalhos e novos produtos ainda estão em fase sigilosa de desenvolvimento, o que a impede de dar mais detalhes.

Presente ao evento, Thiago Masuchette, head de produto da Motorola Brasil, confirmou o compromisso da fabricante de celulares de seguir utilizando componentes da Mediatek em 2024, em dispositivos de entrada a modelos premium, citando linhas Moto E, Moto G e Edge, que tiveram produtos atualizados neste semestre e contam com chipsets da taiwanesa.

Outra presença no evento chamou a atenção: Juan Carlos Ortiz, vice-presidente de vendas da Bullitt para América Latina. A Bullitt revende smartphones “robustos”, como o Moto Defy, com características de resistência a água, quedas, poeira para uso em ambiente mais hostis do que os urbano. E atrela ao produto, ainda, a assinatura de um serviço por satélite NTN, baseado na plataforma Skylo (que recentemente fechou acordo com a Viasat).

O serviço prevê troca de mensagens de texto, envio de localização em áreas remotas, sem redes móveis tradicionais, e emissão de alertas SOS. O modelo de negócio é de contratação direta, sem intermediação de quaisquer operadora.

“Há uma corrida espacial acontecendo agora na indústria de dispositivos móveis, à medida que operadoras, fabricantes de equipamentos e fornecedores de componentes e tecnologia tentam entender como utilizar melhor a comunicação via satélite para preencher as lacunas inevitáveis na cobertura da rede celular”, falou Ortiz.

Segundo ele, o primeiro serviço comercial de mensagens por satélite, que foi mostrado, resulta do desenvolvimento, pela Mediatek, de componentes que atendem aos padrões NTN 3GPP. A data de estreia do serviço no Brasil, no entanto, ele não revela. “Já está disponível na Europa e na América do Norte, com a chegada em breve à América Latina”, resume Ortiz.

A MediaTek é uma das empresas que participam do projeto de padronização 3GPP NTN, ou D2D como é conhecida quando incorpora capacidades de voz e troca ampliada de dados.

Avatar photo

Rafael Bucco

Artigos: 4198