Leilão 5G vai movimentar ao menos R$ 54 bi

Ministro das Comunicações adota tom mais diplomático nesta terça, mas volta a pedir celeridade da Anatel na análise do edital

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, também compareceu à abertura do evento Painel Telebrasil nesta terça-feira, 14. Ali, defendeu a aprovação célere das regras do leilão 5G, que passa por análise na Anatel em razão de pedido de vista feito ontem pelo conselheiro Moisés Moreira.

Faria reiterou pontos enunciados na coletiva de imprense que fez ontem, mas não demonstrou as mesma irritação nem surpresa. Em tom diplomático, agradeceu a análise comedida dos conselheiros e técnicos da agência. Agradeceu também o trabalho dos técnicos do próprio MCom, do TCU, dos ministros da Corte de Contas e a Bolsonaro por ter recriado o Ministério das Comunicações.

Apesar disso, reafirmou que cada mês sem edital na rua significa uma perda estimada de R$ 2,8 bilhões para a economia Brasileira. Citou diferentes estudos para apontar que a 5G poderá acrescentar US$ 1,2 trilhão à economia nacional. O primeiro aporte será direto e virá do investimento das operadoras que arrematarem frequências no leilão. Segundo ele, o leilão vai levantar R$ 54 bilhões em investimentos no setor, uma vez que terá modelo não arrecadatório.

“Por que fazer logo o leilão? Porque temos 40 milhões de pessoas sem internet, e isso foi agravado pela pandemia. São pessoas que dependem da internet para trabalhar, estudar, receber auxílio emergencial, informações sobre as vacinações. Para eles temos que ter celeridade. Quanto antes fizermos o leilão, antes daremos condições de inclusão digital a essa população”, disse.

Avatar photo

Rafael Bucco

Artigos: 4086