Japão pede ao Facebook mais proteção aos dados pessoais

Comissão governamental fez apenas recomendações, mas não puniu gigante da internet por vazamentos
(Crédito: Shutterstock/Dencg)

A Comissão de Proteção de Informações Pessoais do Japão, que investigou o incidente da Cambridge Analytica com autoridades na Grã-Bretanha e em outros lugares, emitiu uma declaração nesta segunda feira, 22, na qual solicita ao Facebook proteger melhor os dados pessoais de seus usuários. No comunicado, solicita que a empresa informe os problemas de segurança aos usuários, aumente a vigilância sobre os provedores de aplicativos em sua plataforma e informe aos reguladores sobre qualquer alteração nas medidas de segurança.

No vazamento do Cambridge Analytica, que veio a público em abril, e que envolveu os dados pessoais de 87 milhões de usuários do Facebook, a empresa reconheceu que potencialmente cem mil usuários japoneses podem ter sido afetados. Já no dia 28 de setembro o Facebook admitiu que os dados de 50 milhões de contas foram comprometidas por hackers, depois de um ataque cibernético. Neste caso, usuários japoneses também podem ter sido atingidos.

Sem definir nenhuma medida punitiva, a comissão japonesa solicitou ao Facebook que publicasse em seu site todas as informações relativas ao comunicado e às providências adotadas. (Com agências internacionais)

Avatar photo

Da Redação

A Momento Editorial nasceu em 2005. É fruto de mais de 20 anos de experiência jornalística nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e telecomunicações. Foi criada com a missão de produzir e disseminar informação sobre o papel das TICs na sociedade.

Artigos: 10578