Intelbras compra 55% da Allume Holding por R$ 24 milhões

Fabricante brasileira ainda tem a opção de compra integral da empresa colombiana pelo prazo de cinco anos, prorrogável por igual período; Allume atua nos segmentos de redes e segurança eletrônica
Intelbras compra 55% das ações da colombiana Allume Holding
Intelbras ainda tem a opção de compra integral da Allume Holding (crédito: Reprodução)

A Intelbras informou, por meio de comunicado ao mercado, que realizou uma operação de compra de 55% do capital social da Allume Holding, empresa colombiana que atua nos segmentos de redes, segurança eletrônica, comunicação, automação predial e gestão de energia, com produtos próprios e de terceiros. O negócio foi orçado em aproximadamente R$ 24 milhões.

Em nota, a fabricante brasileira destacou que, no que diz respeito ao valor da transação, 30% já foram pagos na data da efetivação do negócio (segunda-feira, 9), mediante transferência bancária.

Outros 60% serão pagos em parcelas mensais ao longo de um ano. Uma das prestações será vinculada ao cumprimento de determinadas metas operacionais e financeiras para 2023. Os 10% restantes serão pagos em parcelas anuais ao longo de três anos.

Além disso, a Intelbras informou que, conforme as cláusulas contratuais, tem a opção de comprar as ações que representam os demais 45% do capital social da Allume Holding. A operação pode ser exercida no período de cinco anos – o prazo pode ser prorrogado por igual período, totalizando, portanto, dez anos.

“A aquisição fortalece a estratégia de internacionalização da Intelbras e a participação de mercado da Companhia na América Latina”, destacou a empresa brasileira.

A Allume Holding foi fundada em 1997, em Cali, e conta com filiais em Bogotá, Medellín e Barranquilla. A empresa teve faturamento de aproximadamente R$ 102 milhões em 2022.

No comunicado ao mercado, a Intelbras ressaltou que, mesmo como majoritária da companhia colombiana, as empresas manterão operações comerciais independentes. As sinergias, no entanto, devem ser captadas nos processos internos de gestão.

A aquisição foi autorizada pela Superintendencia de Industria y Comercio da Colombia (SIC). A operação não precisa passar por aprovação em assembleia geral, informou a Intelbras.

Avatar photo

Eduardo Vasconcelos

Jornalista e Economista

Artigos: 809