EACE nega que político poderá gerir R$ 3,5 bi de conexão nas escolas

Segundo a assessoria de imprensa da empresa que administra os recursos do leilão do 5G para a conexão nas escolas, a então diretora de Marketing, Paula Martins, foi confirmada na presidência no último dia 3 de fevereiro.
EACE nega que político poderá gerir R$ 3,5 bi de conexão nas escolas, Crédito-Freepik
A assessoria informa que em 3 de fevereiro foi eleita a diretora de Marketing para o cargo.(Foto: Freepik)

A EACE, empresa responsável pela conexão nas escolas com recursos do leilão da Anatel, no valor de R$ 3,5 bilhões, divulgou nota agora negando que o ex-prefeito de Tauá, no Ceará, Domingos Filhos, seria indicado para presidir a empresa, desde a saída de Maxwell Vieira, em dezembro passado, conforme publicado pelo Tele.Síntese.

A EACE é a entidade formada por representantes das operadoras de celular que compraram frequências no leilão da Anatel de venda das frequências de 26 GHz, 3,5 GHz, 2,3 GHz e de 700 MHz, conhecido como o leilão do 5G. Essa empresa foi criada para cumprir as regras  do edital no que diz respeito ao cumprimento de políticas públicas. Neste caso refere-se à conexão das escolas públicas brasileiras com banda larga.

Conforme a nota da assessoria de imprensa da entidade, foi realizada uma assembleia geral no último dia 03 de fevereiro, que decidiu confirmar a diretora de Marketing, Paula Martins, para a presidência. Martins estava como interina desde dezembro do ano passado, com a saída de Vieira.

Com esse movimento, a indicação de Domingos Filho para o cargo fica congelada. Pelo menos por enquanto. Segue a íntegra da nota da assessoria:

Nota à imprensa

Desde a saída de Maxwell Vieira da EACE – Entidade Administradora da Conectividade de Escolas, a jornalista Paula Martins , diretora de comunicação, assumiu a presidência da entidade e na última Assembleia Geral Extraordinária, foi efetivada no cargo pelas associadas.

O que é a EACE

A EACE fará a conexão das escolas públicas do país a partir dos recursos pagos pelas operadoras de celular quando disputaram a licitação da Anatel das frequências do 5G . Conforme estudo da MegaEdu, das 140 mil escolas públicas existentes, 30 mil não têm qualquer acesso à internet. E o mais grave, das 140 mil, apenas  14% das conectadas teriam acesso à internet com capacidade adequada para uso pedagógico.

Nas metas delineadas pelo grupo que conduz essa política, liderado pelo conselheiro Vicente Aquino, da Anatel, foi criado um projeto-piloto, que conectou  119 escolas. Destas, 115 receberam banda larga baseada em fibra óptica, com velocidade de 200 Mbps.

Avatar photo

Miriam Aquino

Jornalista há mais de 30 anos, é diretora da Momento Editorial e responsável pela sucursal de Brasília. Especializou-se nas áreas de telecomunicações e de Tecnologia da Informação, e tem ampla experiência no acompanhamento de políticas públicas e dos assuntos regulatórios.
[email protected]

Artigos: 2174