Dória diz que Huawei estuda construir nova fábrica em SP

Empresa diz, em nota, que investimento depende do desempenho das vendas de seus smartphones no mercado local. No sábado, 10, afirmou que aporte de US$ 800 milhões acontecerá entre 2020 e 2022.

Em viagem à China, o governador de São Paulo, João Dória, afirmou que a empresa chinesa Huawei avalia investir US$ 800 milhões (R$ 3,3 bilhões) em nova fábrica no estado paulista. A afirmação se deu após reunião com executivos da empresa, entre os quais, Steven Shen, Vice-Presidente da Huawei Brasil, e Atilio Rulli, Diretor Sênior de Relações Públicas e Governamentais.

“Essa reunião definiu as perspectivas de investimentos da Huawei no Brasil e em São Paulo. A Huawei já tem uma fábrica em Sorocaba, no interior de São Paulo, que emprega 2 mil funcionários diretos e 15 mil indiretos. Eles definiram um novo investimento em São Paulo: uma nova fábrica em uma nova cidade”, falou o governador.

Procurada, a Huawei não confirmou as informações dadas por Dória. Disse apenas que condiciona o projeto ao desempenho das vendas de seus celulares no Brasil. “Conforme o desenvolvimento da performance da operação dos smartphones da Huawei no mercado local, [a empresa] considera instalar uma fábrica em São Paulo em um futuro próximo”, disse, por meio de nota. A fabricante voltou a vender celulares aqui em maio – todos são modelos importados.

[Atualizado] Em nova nota, divulgada neste sábado, 10, a Huawei confirma que vai investir US$ 800 milhões em São Paulo entre 2020 e 2022. Mas não traz outros detalhes.

Segundo o governo paulista, a escolha da cidade será feita pela Huawei “nos próximos meses”, dentro do polo de desenvolvimento tecnológico do Governo do Estado de São Paulo. A definição será dada por meio das circunstâncias de logística, disponibilidade de mão de obra, condições técnicas de implantação do novo site e da nova fábrica, “representando um investimento de US$ 800 milhões nos próximos três anos (2020 a 2022)”. Os produtos feitos ali seriam destinados ao mercado local e à exportação dentro da América do Sul.

Dória disse ainda que a construção da planta estaria relacionada ao leilão de frequências 5G da Anatel. Falou que a fábrica ficará pronta um ano após o certame. “Havendo o leilão, a Huawei terá condições, evidentemente, tendo um bom resultado, de ter a infraestrutura pronta e disponível no mercado em março de 2021”, disse. O político afirmou ainda que a Huawei fará investimentos no Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), mantido pelo estado.

Avatar photo

Rafael Bucco

Artigos: 4150