CPQD fornecerá solução de core de rede para ISP com foco no agronegócio

Rede do provedor SIM Conecta cobre uma área de mais de 150 mil hectares no MT; plataforma C2n deve contribuir para ampliar o alcance de conectividade na região
CPQD fornecerá solução de core de rede para ISP que atua na zona rural do MT
Com atuação no MT, SIM Conecta usará solução de core de rede do CPQD para expandir área de cobertura (crédito: Freepik)

O CPQD informou, nesta segunda-feira, 18, que fornecerá a C2n, uma solução de core de rede convergente 4G/5G, para o provedor SIM Conecta, que atua no sudeste do Mato Grosso com foco no agronegócio. Com o uso do serviço, a expectativa é de que o ISP expanda a sua rede de quarta geração móvel, que, atualmente, cobre uma área de mais de 150 mil hectares, alcançando mais de 40 mil pessoas.

Há dois anos no mercado, o SIM Conecta tem sede em Primavera do Leste (MT) e atende outros pequenos municípios no território mato-grossense, sobretudo localidades produtoras de grãos e algodão. Até a formalização da parceria com o centro de pesquisa, o provedor operava com uma rede 4G LTE de alta capacidade para prover conectividade em longas distâncias. O serviço funciona na faixa de 700 Mhz – a frequência é operada com uma licença concedida pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

No entanto, segundo o fundador da empresa, o engenheiro agrônomo Alexsandro Gregorio, a solução utilizada no core dessa rede apresentava limitações no que diz respeito à sua expansão.

“Nosso negócio é levar conectividade para o produtor rural, que precisa se comunicar com fornecedores, clientes e com o mundo, e também para comunidades de áreas não atendidas pelas operadoras móveis”, destaca o executivo. “Decidimos adotar a solução C2n, do CPQD, para poder melhorar ainda mais nosso serviço estendendo a cobertura da nossa rede móvel para outros municípios e, também, para oferecer serviços de banda larga FWA (Fixed Wireless Access)”, acrescenta.

O fundador do provedor indica que ainda planeja ofertar uma solução fim a fim para os clientes, incluindo serviços e aplicações de Internet das Coisas (IoT) integrados com Inteligência Artificial (IA). “O objetivo é ter uma rede financeiramente saudável”, pontua.

Segundo o CPQD, a plataforma C2n deve contribuir para a implantação de projetos de redes privativas 4G e 5G, além de fornecer conectividade para aplicações de Inteligência Artificial das Coisas (AIoT) em diversos segmentos, inclusive o agronegócio. (Com assessoria de imprensa)

Avatar photo

Da Redação

A Momento Editorial nasceu em 2005. É fruto de mais de 20 anos de experiência jornalística nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e telecomunicações. Foi criada com a missão de produzir e disseminar informação sobre o papel das TICs na sociedade.

Artigos: 10589