Sobe para 12 número de cidades sem rede móvel no Rio Grande do Sul devido às chuvas

Chuvas isolam mais cidades no Rio Grande do Sul. Anatel prevê piora da situação na capital, Porto Alegre, com mais alagamentos no fim de semana.
Porto Alegre, 03/05/2024, Rio Guaíba, usina do gasômetro, em Porto Alegre após chuva intensa. Foto: Gilvan Rocha/Agência Brasil
Porto Alegre, 03/05/2024, Rio Guaíba, usina do gasômetro, em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, após chuvas intensas. Foto: Gilvan Rocha/Agência Brasil

A situação da infraestrutura de comunicações no Sul do Brasil piorou de ontem para hoje, 3. Boletim divulgado pela Anatel mostra que subiu de 8 para 12 o número de cidades ilhadas, sem qualquer sinal de telefonia móvel. A compilação da agência é realizada por meio de status enviados pelas próprias prestadoras de serviços.

Segundo o boletim desta sexta-feira, Agudo, Arroio do Meio, Cambará do Sul, Dona Francisca, Encantado, Marques de Souza, Muçum, Pouso Novo, Progresso, Santa Clara do Sul, São Vendelino e Travesseiro estão completamente isoladas.

A agência informa que, dos 497 cidade do Rio Grande do Sul, 228 estão com as redes prejudicadas, mas contam com ao menos sinal de uma das operadoras. Ou seja, mais 81 cidades entraram para a lista de impactadas.

Conforme o governo do Rio Grande do Sul, havia às 18h desta sexta 63 cidades com queda da rede da TIM, 18 com queda da Vivo, e 53 com queda da Claro.

Vale lembrar que o roaming de Claro, TIM e Vivo está aberto, o que significa que clientes da Vivo podem usar o telefone onde há rede da TIM ou da Claro disponível, e vice versa.

Em Santa Catarina, em compensação, a situação melhorou. Ontem eram 42 as cidades com redes afetadas pelas chuvas, nenhuma completamente isolada pela falta de sinal. Hoje são 11 as cidades afetadas, mas com alguma rede ativa, e nenhuma no escuro.

Gustavo Borges, superintendente de controle de obrigações da Anatel, que coordena o grupo de gerenciamento de crises, diz que “as operadoras estão mobilizadas na recuperação, mas os desafios de chuvas, alagamentos e acesso a alguns municípios continua, bem como falta de energia comercial. O roaming está habilitado nos municípios para reduzir o impacto de antenas prejudicadas. Em Porto Alegre a situação tem escalado e a previsão é de que ainda se agrave, pois as enchentes tendem a piorar até domingo”, explica.

O Ministério das Comunicações participa das reuniões do grupo de reação a crises, composto ainda pelas operadoras. Ontem, a Pasta determinou à Telebras enviar 14 antenas de conectividade banda larga por satélite para o Sul. Hoje, mandou enviarem mais 20 estações para conectar os Centros de Comando de Crise, hospitais de campanha e abrigos no Rio Grande do Sul. Com isso, serão 34 terminais satelitais transportáveis da empresa estatal à disposição das equipes.

Os equipamentos serão destinados para as cidades de Estrela, Lajeado, Muçum, Roca, Sales, Arroio do Meio, Encantado, Taquari, Venâncio Aires, Santa Maria, Cachoeira do Sul, Candelária e Santa Cruz do Sul.

Em comunicado, o ministro Juscelino Filho diz que o governo vai pensar em ações de recuperação da infraestrutura, mas que no momento a prioridade é a população. “Vamos agora atuar para primeiro salvar vidas e depois chegar com as ações de recuperação do governo do presidente Lula e restabelecer o mais rápido possível a comunicação na região”, disse.

Avatar photo

Rafael Bucco

Artigos: 4198