CEO da Oi pede liberdade de acesso a diferentes tecnologias

Rodrigo Abreu observa que o investimento em tecnologia é muito caro no Brasil e que a governança dos dados é a melhor forma de garantir a sua segurança.

O presidente da Oi, Rodrigo Abreu, criticou hoje,30, qualquer iniciativa que vise a limitar o acesso a diferentes tecnologias de redes de telecomunicações, referindo-se à proposta de banimento da Huawei do país, por pressão do governo norte-americano.

Para ele, manter a segurança dos dados é importante para qualquer Nação, mas o remédio deve ser o acompanhamento da governança dos dados e não a restrição ao acesso de tecnologias.

” O Brasil, desde o início da implementação da telefonia celular, sempre conviveu muito bem com padrões europeus, norte-americanos e asiáticos. É importante lembrar que o investimento em tecnologia é muito caro aqui no país e limitar o acesso à tecnologia nunca é bom”, afirmou.

Abreu admitiu também que, em algum momento, qualquer que seja a tecnologia, ela vai apresentar algum tipo de problema, e, por isso, a Oi está deixando de administrar por serviço, produto ou tecnologia em separado, para atuar a partir da análise da jornada do cliente. “Precisamos ter uma visão fim a fim, de jornada mesmo”, afirmou o executivo.

Distopia

Ele acredita que a 5G irá acelerar a implementação de novas tecnologias, como a realidade virtual e a realidade aumentada, mas, alerta que, para que o futuro não se transforme em uma distopia, como o seriado “Black Mirrow”, no qual não há a liberdade individual, as novas tecnologias devem poder ampliar as escolhas, e não limitá-las.

Avatar photo

Miriam Aquino

Jornalista há mais de 30 anos, é diretora da Momento Editorial e responsável pela sucursal de Brasília. Especializou-se nas áreas de telecomunicações e de Tecnologia da Informação, e tem ampla experiência no acompanhamento de políticas públicas e dos assuntos regulatórios.
[email protected]

Artigos: 2194