Caixa tem resultado histórico em 2021 e prevê alta em 2022

Em 2022, a Caixa prevê alta de 10% no crédito imobiliário; 2021 fechou com R$ 140 bi em concessões, maior valor já registrado pelo banco.
Fachada da Caixa em Brasília - Crédito: Divulgação
Crédito: Divulgação

Em 2022 Caixa Econômica prevê alta de 10% das concessões de crédito para compra de imóveis em 2022. “Vamos crescer 10% e superar R$ 150 bilhões em concessões”, afirmou o presidente-executivo do banco, Pedro Guimarães, em entrevista à Agência Reuters.

A Caixa apresentou resultado histórico em 2021. Foram mais de R$ 140 bilhões contratados ao longo do ano, maior valor da história do banco, um crescimento de mais de 21% na comparação com o ano anterior e de 56,1% em relação a 2019. O aumento chega a 74,5%, se comparado com 2018.

Nas contratações com recursos da poupança (SBPE) a participação acumulada em 2021 foi de mais de 40% e os valores aplicados somaram R$ 82,8 bilhões, o que representa aumento de 54,1% no comparativo com 2020. Já com relação a 2019, o crescimento foi de 212,1% e de 513,4% em relação a 2018.

Com 66,3% de participação no mercado, a Caixa é o maior financiador da casa própria no país. A carteira de crédito habitacional ultrapassou o volume de R$ 550 bilhões em 2021, com crescimento de 8% em relação a 2020.

Foram R$ 57,8 bilhões contratados pelo Casa Verde e Amarela, o que representa 99,99% dos recursos do Programa.

Construção Civil

Para o setor da construção civil, foram R$ 31,3 bilhões em crédito concedido para construtoras, crescimento de 27,1% em relação a 2020 e de 51,3% em comparação com 2019. Levando em consideração 2018, o aumento é de 93%. Foram cerca de 2,5 mil novos canteiros de obras no ano passado.

Dados da corretora imobiliária Akamines, divulgados pela Reuters, apontam que a menor taxa cobrada pela Caixa está em 8,3% ao ano, enquanto é de 9,1% no Itaú, 9,5% no Bradesco e 9,99% no Santander, além da TR.

(com Agência Reuters)

Avatar photo

Redação DMI

Artigos: 1794