Brasileiros optam por bigtechs para investir

As bigtechs Apple, Facebook e Google são as empresas estrangeiras com maior número de investidores por ações de companhias estrangeiras.
Brasileiros optam por bigtechs para investir- Crédito: Freepik
Crédito: Freepik

As bigtechs Apple, Facebook e Google são as empresas estrangeiras com maior número de investidores por ações de companhias estrangeiras no país, conforme o levantamento realizado pela plataforma Dividendos.me, que reúne 130 mil investidores. Os dados, referentes a janeiro de 2022, mostram que as empresas de tecnologia ocupam seis posições entre as dez mais procuradas.

A sequência é quebrada pela Walt Disney, que atua no ramo de mídia, Tesla, no automotivo, e Amazon, na área de Varejo Diversificado. Mas, logo em seguida, se posicionam as três empresas do setor de software e tecnologia: a Microsoft, em sétimo lugar, Alibaba e o Mercado Livre.

Curiosamente, os brasileiros têm preferência por um segmento conhecido por não pagar, ou pagar muito pouco,  dividendos. A Apple, que conta com 1.415 investidores na Dividendos.me, ofereceu um retorno de dividendo de 0,52% em 12 meses. E um yield de recompra de 3,21%. Facebook e Google nem dividendos pagam, mas realizaram a recompra de suas ações com rendimentos, respectivamente, de 8,38% e 2,36%.

“Tributariamente falando é mais interessante para as empresas efetuarem recompra de ações do que efetivamente distribuir dividendos, uma vez que a distribuição de lucros tem uma tributação alta nos Estados Unidos. Para as empresas americanas a recompra acaba sendo menos custosa e gera valor ao seu acionista, uma vez que quando a recompra é realizada e as ações são posteriormente canceladas, o acionista vai possuir um ‘pedaço’ maior da companhia”, explica Guilherme Gentile, head de análise da Dividendos.me.

Tesla, Amazon e Alibaba também não pagam dividendos aos acionistas. A Microsoft, por sua vez, ofereceu 0,78% de dividend yield e recompra com retorno de 1,32%. “As big techs normalmente não pagam dividendos porque focam no crescimento futuro. Há também o fato de que algumas delas demoram anos para começarem a lucrar. Assim, são ações para o investidor que aposta no crescimento dessas companhias e a consequente valorização de seus papéis”, observa Gentile.

Não se pode dizer, porém, que o não pagamento de dividendos é exclusivo das big techs. Empresas de outros setores também agem da mesma forma. A Walt Disney, por exemplo, além de não pagar dividendos também não fez a recompra de ações. A Coca-Cola, ao contrário, tem como cultura pagar dividendos aos seus acionistas.

(Com assessoria)

Avatar photo

Redação DMI

Artigos: 1771