Alares cresce em clientes, mas mantém prejuízo no 2º trimestre

Alares teve crescimento de 11% na base de clientes, agora com 512 mil assinantes. A rede da empresa passou a cobrir 120 cidades com a chegada a Araras e Rio Claro, em São Paulo.

Imagem logotipo Alares

A provedora de internet Alares divulgou nesta segunda-feira, 14, os resultados do segundo trimestre do ano, no qual registrou prejuízo líquido de R$ 37,5 milhões, apesar da expansão de 11% da carteira de clientes, agora com 512 mil assinantes.

A receita líquida cresceu 4,6%, para R$ 131,3 milhões na comparação ano a ano. A rede a empresa chegou a 120 cidades, em seis estados. No período, foi ativada nas cidades de Araras e Rio Claro, ambas no estado de São Paulo.

A companhia apresentou melhora do EBITDA (lucro antes de depreciações, juros, impostos e amortizações), que subiu R$ 22,8% em relação ao apurado no segundo trimestre do ano passado, e atingiu R$ 42,2 milhões. A margem EBITDA, utilizada para medir a geração de caixa, subiu 4,8 pontos percentuais, para 32,1%.

Também no segundo trimestre, foram construídos 188 mil HPs (casas passadas). Com isso, a empresa chegou a 1,9 milhão de domicílios que podem assinar seus serviços.

O resultado líquido da companhia foi afetado, principalmente, por depreciações e amortizações relacionadas aos investimentos feitos em expansão da rede. Comparada com o segundo trimestre de 2022, a linha teve alta de quase 30%, para R$ 52,5 milhões.

A Companhia encerrou junho com uma dívida bruta de R$ 877,3 milhões, que é composta em sua maior parte de debêntures.

A Alares foi criada em 2015, à época com o nome Triple Play Brasil, resultante da união dos antigos provedores Cabo, Conexão, Videomar, Tecnet. Em 2021, foi vendida para o Condor Fundo, que é controlado pelo norte-americano Grain Management. Em 2020 a companhia pediu registro na CVM na expectativa de abrir o capital, mas após considerar que as condições de mercado não eram favoráveis, desistiu da iniciativa.

Avatar photo

Rafael Bucco

Artigos: 4205