XP registra lucro de R$ 1,046 bilhão no 2T22

A carteira de crédito da XP atingiu R$ 12,9 bilhões no fim de junho deste ano, um crescimento de 89% na comparação ano contra ano.
XP registra lucro de R$ 1,046 bilhão no 2T22 - Crédito: Divulgação
Crédito: Divulgação

A XP Inc. encerrou o segundo trimestre de 2022 com receita bruta de R$ 3,6 bilhões, o que representou um crescimento de 13% frente ao mesmo período do ano passado. O resultado foi impulsionado, principalmente pelo negócio de varejo, que aumentou 14%, passando de R$ 2,4 bilhões no segundo trimestre de 2021 para R$ 2,8 bilhões.

A margem bruta foi de 72%, 1,5 p.p. acima em relação ao mesmo trimestre de 2021. A receita com novas verticais de negócio saltou 113%, totalizando R$ 264 milhões. A receita com cartão de crédito foi de R$ 116 milhões, alta de 256%. Já a frente de previdência privada registrou faturamento de R$ 81 milhões, crescimento de 57%. Outras linhas de negócio também tiveram alta nesta linha do balanço: Crédito, com R$ 44 milhões (+78%), e Seguros, com R$ 23 milhões (+55%).

Outro destaque no trimestre foi o lucro líquido, que voltou a romper a barreira de R$ 1 bilhão, ficando em R$ 1,046 bi. O resultado representa um crescimento de 6% em relação ao primeiro trimestre.

Crédito

A carteira de crédito da XP atingiu R$ 12,9 bilhões no fim de junho deste ano, um crescimento de 89% na comparação ano contra ano. Já os cartões de crédito XP geraram R$ 5,5 bilhões em TPV (Total Purchased Value, da sigla em inglês) no segundo trimestre, crescimento de 161% em relação ao mesmo período do ano passado. O total de cartões ativos ultrapassou a marca de 383 mil no segundo trimestre do ano, um crescimento de 25% trimestre contra trimestre e 185% ano contra ano.

O total de Ativos sob Custódia (Assets Under Custody, AUC, na sigla em inglês) atingiu R$ 846 bilhões no fim de junho, uma alta de 4% em relação ao mesmo período em 2021. Já a captação líquida ficou em R$ 43 bilhões, 7% inferior na comparação ao trimestre passado. O segundo trimestre também foi marcado por avanços nos números de clientes, que somaram 3,6 milhões, alta de 16% frente ao ano anterior, e de assessores autônomos conectados à rede, que totalizaram 11,3 mil profissionais, crescimento de 26%.

O NPS – metodologia utilizada para medir a satisfação do cliente – ficou em 76 pontos em junho de 2022, dois pontos acima do registrado no mesmo mês do ano anterior. A melhora é atribuída aos esforços contínuos da empresa para oferecer um serviço ao cliente de nível superior a um preço reduzido.

(com assessoria)

Avatar photo

Redação DMI

Artigos: 1782