Valor justo da dívida da Oi é de R$ 23,7 bilhões, avalia a Fitch

Embora valor justo seja 32% inferior ao valor de face, Fitch mantém nota mais baixa possível para o crédito da Oi em função da recuperação judicial

 Crédito: Freepik

A empresa de avaliação de risco Fitch divulgou nesta segunda-feira, 30, que o valor justo da dívida da Oi é de R$ 23,7 bilhões, enquanto o valor de face dos títulos é de R$ 35,3 bilhões. Ou seja, existe uma diferença de 32% entre o total da dívida e quanto ela efetivamente vale como passivo.

O motivo reside na situação da empresa, que passa por recuperação judicial e trabalha em um plano justamente para reestruturar a dívida, o que torna mais caro para a Oi contrair empréstimos do que empresas em situação menos desafiadora.

A Fitch emitiu hoje nota “D” para títulos de longo prazo da Oi em moeda estrangeira. Para a dívida nacional de longo prazo, a nota também foi “D(bra)”. Já as notas seniores sem garantias que vencem em 2025 e 2026 receberam “C’/RR4”. Estas são as notas mais baixas possíveis em sua escala para classificação de crédito, informa.

“Os ratings refletem o processo de recuperação judicial da Oi, pedido em março de 2023 e em andamento. Desde então, a empresa não chegou a um acordo com seus credores. Assim que a companhia concluir a reestruturação de sua dívida e encerrar o processo de recuperação judicial, a Fitch reavaliará o perfil de crédito e atribuirá ratings com base na nova estrutura de capital”, diz a Fitch, no relatório.

Lembra que elevar a nota da empresa é improvável até que a reestruturação da dívida seja concluída e a tele encerre o processo de recuperação judicial.

A Oi continua negociando com credores a reestruturação de sua dívida para preservar o caixa. A Fitch lembra que desde março de 2023, quando entrou novamente em recuperação judicial, a empresa concluiu o processo de arbitragem com os três compradores de seus ativos de telefonia móvel, recebendo pouco mais de R$ 800 milhões e da venda da SPE Torres 2 para o Grupo Highline por um valor bruto de R$ 905 milhões.

Além disso, lista a Fitch, obteve novo financiamento debtor-in-possession (DIP), de US$ 300 milhões, com o BTG Pactual, dando como garantia 95% de suas ações na V.tal. Como a empresa conseguiu receber o montante da arbitragem, o valor do novo empréstimo DIP foi reduzido para US$ 200 milhões, recursos estes que serão utilizados para quitar antecipadamente o DIP anterior, mais juros incidentes e não pagos, além de taxas.

Além disso a Fitch estima uma recuperação “condizente com um Rating de Recuperação ‘RR4′”, que é movido principalmente pelo montante dos 31,2% que a Oi detém na operadora atacadista de fibra óptica V.tal e, em menor grau, pela posição da Oi após a reestruturação dos negócios remanescentes”. A participação da Oi na V.tal valem R$ 8 bilhões, estima.

Avatar photo

Rafael Bucco

Artigos: 4210