TIM quer 25% de lideranças pretas ou pardas até 2025

TIM renova planos ESG, com metas para 2024-26: entre os objetivos, ter mais pretos e pardos na liderança e mais áreas rurais cobertas com 4G

Loja da TIM (Divulgação)

A TIM definiu entre suas metas ESG para o próximo triênio nomear pretos e pardos a pelo menos 25% dos cargos de liderança. O objetivo aparece no Plano ESG 2024-2026 da companhia, divulgado pela companhia na última semana.

O documento atualiza alguns compromissos, como ser uma empresa “net zero” até 2040. Isso significa zerar as emissões diretas e indiretas de gases do efeito estufa, incluindo toda a cadeia de valor. Para alcançar esse objetivo, uma das apostas é manter 100% de consumo de energia elétrica renovável, fruto, principalmente, da geração de energia advinda das mais de 100 usinas próprias que integram o projeto de Geração Distribuída, além da aquisição de energia no mercado livre e de certificados de energia que atestam a fonte limpa (I-RECs).

O aumento da diversidade racial na liderança é um dos dois itens novos, que ainda não existiam entre compromissos da empresa. Já havia meta para funcionários negros em geral, mas não no comando. A intenção era chegar a 2025 com 40% de trabalhadores negros, patamar que foi ultrapassado em 2023 e somou 41,4%.

Outro novo objetivo é ter, até 2026, 20 milhões de hectares conectados em áreas rurais do Brasil, levando a digitalização não somente para o agronegócio, como também para escolas, postos de saúde e para moradores em geral dessas regiões.

2023

Entre medidas que já estavam estabelecidas, o relatório indica que a equidade de gênero avançou bem. A meta para 2025 era ter 35% de mulheres entre as lideranças, e atualmente elas já são 36,2%.

A operadora se compromete ainda a manter selos e certificações de transparência, anticorrupção, proteção de dados e cibersegurança, além de permanecer em importantes índices e ranking ESG do mercado financeiro.

“ESG precisa ser transversal a todas as áreas do negócio, direcionando produtos e serviços, inserindo-se em nossa cultura interna e permeando toda a nossa cadeia produtiva”, comentou Mario Girasole, VP de Assuntos Regulatórios e Institucionais da TIM.

No ano passado, a TIM alcançou a meta de cobrir todos os municípios do Brasil com sua rede 4G. A empresa também ampliou a conectividade e estradas e no campo – chegando a 16 milhões de hectares com 4G, onde vivem 1,3 milhão de pessoas.

No pilar ambiental, a empresa superou a meta de ter 100 usinas de energia renovável, chegando a uma produção que representa mais da metade do consumo total. A produção das usinas é complementada com aquisição no mercado livre e compra de certificados de energia renovável (I-RECs) para manter – desde 2021 – o patamar de 100% de energia limpa no consumo total da operadora. Além disso, houve um aumento de 160% de eficiência energética no tráfego de dados e uma redução de 80% das emissões de gases do efeito estufa (escopos 1 e 2), informa o documento. (Com assessoria de imprensa)

Avatar photo

Da Redação

A Momento Editorial nasceu em 2005. É fruto de mais de 20 anos de experiência jornalística nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e telecomunicações. Foi criada com a missão de produzir e disseminar informação sobre o papel das TICs na sociedade.

Artigos: 10485