TIM leva 26 GHz nacional e mais espectro no Sul, SP e sudeste

Operadora arremata as outorgas com prazo de 20 anos e 10 anos de 26 GHz das três áreas prioritárias., além de uma licença nacional de 10 anos.
Crédito: Freepik
Crédito: Freepik

Depois que Claro e Vivo compraram as licenças nacionais da faixa de 26 GHz, a TIM,  adquiriu parte do lotes H – regionais, de 200 MHz, por 20 anos – colocados à venda pela Anatel, no leilão do 5G, que continua hoje. A TIM arrematou as frequências de cobertura da Região Sul do país, por R$ 8 milhões e ágio de 6,2%; o espectro sobre os estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais, pelo valor de R$ 11 milhões e ágio de 0,5%; e o estado de São Paulo pelo valor de R$ 12 milhões, com ágio de 0,5%. A operadora também comprou um lote nacional de 200 MHz, mas com prazo de outorga menor, de apenas 10 anos. Pagou pelo lote I 06 ágio de 2,22% e pagou R$ 27 milhões.

O grupo Telefônica Vivo chegou a apresentar garantias mas não fez oferta de preços. Os demais lotes regionais com prazo de outorga de 20 anos colocados a venda pela Anatel – ficaram quase todos desertos, a exceção da região da Algar Telecom, que adquiriu as suas frequências e também uma concorrente sua na região.

Outorga de 10 anos

A TIM também comprou as outorgas de 200 MHz com prazo de 10 anos  nas mesmas regiões para as quais direcionou seu interesse pelas outorgas de 20 anos. Pelo espectro da região Sul do país, pagou R$ 4 milhões, ágio de 6, 12% e pagou pelo lote J 26, voltado para os estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo, pelo preço de R$ 6 milhões e ágio de 18, 42%. E comprou também o lote J 33, pelo preço de R$ 6 milhões, com ágio de 5,97%

 

Avatar photo

Miriam Aquino

Jornalista há mais de 30 anos, é diretora da Momento Editorial e responsável pela sucursal de Brasília. Especializou-se nas áreas de telecomunicações e de Tecnologia da Informação, e tem ampla experiência no acompanhamento de políticas públicas e dos assuntos regulatórios.
[email protected]

Artigos: 2226