Sicredi anuncia Pix recorrente

Sicredi anuncia pix recorrente para usuários, novidade permite que cliente dividam compras em até 12 vezes.

Homem conclui transação com sucesso pelo celular - Crédito: Freepik

O Sicredi anunciou neste final de  2022 o lançamento do Pix Recorrente em sua gama de produtos financeiros. A novidade busca  facilitar o dia a dia do usuário programando os pagamentos Pix ao decorrer de períodos de tempo, evitando atrasos, por exemplo. Desde o lançamento do Pix a empresa já movimentou mais de R$ 810 bilhões e acumula 5,1 milhões de chaves registradas. Com a nova modalidade a Sicredi espera crescimento acelerado desses números. 

“Estamos atentos para melhorar cada vez mais a experiência dos nossos associados na usabilidade das nossas soluções. A iniciativa surgiu a partir de um estudo de nossa base de dados, no qual identificamos muitos pagamentos frequentes de associados que faziam transações com o mesmo valor para o mesmo recebedor, em repetidos meses”, explica Virginia da Cunha, superintendente de Meios de Pagamento do Sicredi.

O que é

Mas se o Pix – ou o pagamento instantâneo já é um sucesso, o recorrente ainda não tem muitos adeptos. Para esclarecer sobre as suas características, conversamos com Matheus Ferraz, Engenheiro Aeroespacial e Diretor de Tecnologia na Stark Bank.

Afinal, o Pix recorrente, caso torne-se padrão entre as instituições, pode substituir produtos bancários atuais?

Para o especialista, não. No cenário de hoje, o Pix recorrente não canibaliza produtos financeiros já presentes, sendo apenas um substituto similar ao depósito em conta. “O mais próximo dessa nova modalidade seria o Débito Automático, porém há uma diferença importante: enquanto o Pix Recorrente possibilita apenas o pagamento de um valor fixo periodicamente, o Débito Automático deve ser capaz de debitar valores variáveis a cada mês, dependendo do quanto de gás ou luz foi consumido no período, por exemplo.”, explica. 

Por fim, o executivo também relembra dos perigos que o PIX recorrente pode causar, especialmente por não ter a alteração de  valor de maneira automática. “Embora seja muito conveniente cadastrar um Pix recorrente para pagar contas de forma automática, como por exemplo um curso de inglês, é importante ficar atento para cancelar o envio do Pix recorrente caso o serviço deixe de ser oferecido. Dessa forma, caso o curso de inglês do exemplo acima acabe, é importante não esquecer de cancelar o cadastro do Pix recorrente correspondente. Caso contrário, é possível que novos pagamentos continuem a ser feitos mesmo depois do fim do curso.”, finaliza Ferraz.

Ettroy Jacob é estagiário de jornalismo da Momento Editorial

Avatar photo

Redação DMI

Artigos: 1771