Setor de telecomunicações investiu R$ 38,1 bilhões em 2022, informa Conexis

Em termos reais, houve estabilidade em relação ao ano anterior; entidade defende reforma tributária que reduza a carga de impostos sobre o setor
Setor de telecomunicações investiu mais de R$ 38 bilhões em 2022
Setor de telecomunicações investiu mais de R$ 38 bilhões em 2022 (crédito: Freepik)

O setor de telecomunicações investiu R$ 38,1 bilhões em 2022, informou a Conexis Brasil Digital, entidade que representa as operadoras, nesta segunda-feira, 24. Em termos nominais, houve alta de 7,3% na comparação com o montante investido em 2021.

No entanto, em valores reais, ou seja, levando em conta os efeitos da inflação do período, houve estabilidade.

Marcos Ferrari, presidente-executivo da entidade, atribuiu o resultado à dificuldade de as operadoras aumentarem as receitas dos serviços de telecomunicações.

“Estamos mantendo os investimentos necessários para a expansão da conectividade mesmo em um cenário de queda nas receitas que temos verificado nos últimos anos”, afirmou, em nota.

Segundo a Conexis, em 2022, a receita bruta, em valores reais, somou R$ 277,7 bilhões, abaixo do resultado do ano anterior, quando o faturamento foi de R$ 285,1 bilhões. Além disso, a entidade destacou que a série histórica mostra uma queda real da receita ao longo dos anos, em razão do mercado competitivo no qual o preço se torna um diferencial para a conquista dos clientes.

Nesse sentido, a Conexis defende a implementação de uma reforma tributária para que os investimentos em conectividade voltem a crescer. “O setor defende a necessidade de uma reforma ampla, que leve a uma redução da carga de impostos”, declara Ferrari.

Outros indicadores

Segundo a Conexis, o setor de telecomunicações fechou o ano de 2022 com 522 mil empregados. Sendo assim, o número de trabalhadores caiu 1,71% na comparação com 2022.

O País registrou, ao todo, 336 milhões de acessos a todos os serviços (telefonia fixa e móvel, banda larga fixa e móvel e TV por assinatura) ao final de 2022. A banda larga cresceu 7,3%.

O número de antenas no território nacional, porém, diminui 8,7% no ano passado, ficando em 87,6 mil equipamentos. Na avaliação da Conexis, a queda se deve ao processo de incorporação da rede móvel da Oi pelas então concorrentes Claro, TIM e Vivo, o que otimiza o uso das infraestruturas.

Avatar photo

Da Redação

A Momento Editorial nasceu em 2005. É fruto de mais de 20 anos de experiência jornalística nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e telecomunicações. Foi criada com a missão de produzir e disseminar informação sobre o papel das TICs na sociedade.

Artigos: 10506