Segurança eletrônica mais inteligente

A plataforma cria um ecossistema de equipamentos de monitoramento com inteligência artificial de CFTV que torna a operação de segurança mais confiável, simples, eficiente, integrada e automatizada.

Thiago Henrique dos Santos, supervisor da categoria de câmeras IP da empresa Intelbras

DEFENSE IA 

2º Lugar 

Categoria Fornecedores de Software e Serviços 

Empresa: Intelbras 

[O Tele.Síntese publica ao longo das próximas semanas as reportagens publicadas no Anuário Tele.Síntese de Inovação 2022, editado no final do ano passado e que pode ser baixado na íntegra e gratuitamente aqui] 

O mercado de segurança está migrando de uma estrutura baseada em pessoas para uma estrutura baseada em inteligência artificial, porém com várias tecnologias diferentes que não se integram, deixando os sistemas mais ineficientes, complexos e caros. Para resolver este problema, a Intelbras criou o Software de Gestão Inteligente de Segurança Eletrônica Defense IA. A plataforma cria um ecossistema de equipamentos de monitoramento com inteligência artificial de CFTV (Circuito Fechado de TV), controle de acesso, alarme, incêndio e videowall que torna a operação de segurança mais confiável, simples, eficiente, integrada e automatizada.  

Thiago Henrique dos Santos, supervisor da categoria de câmeras IP da Intelbras, diz que, nos últimos anos, a empresa vem intensificando os investimentos em inovação, para desenvolver tecnologias específicas para o mercado nacional.  

“Com um sistema unificado, intuitivo e acessível, o cliente consegue gerenciar várias tecnologias complexas de forma eficiente, tornando as empresas e cidades mais seguras. É possível identificar todos que estão entrando num ambiente, fazer leitura de placas de veículos, e realizar uma gestão completa do ambiente.  

Ele destaca que o software é o cérebro do centro de monitoramento de segurança pública, gerenciando de forma unificada equipamentos de segurança eletrônica.  

Com o Defense IA é possível gerenciar milhares de dispositivos, além de centralizar inteligências de ponta, como reconhecimento facial, leitura de placas, contagem de pessoas, entre outros. Como ele cria um ecossistema de equipamentos com IA, um sensor pode acionar outros dispositivos de forma automática. Quando um detector de incêndio é acionado, automaticamente todas as portas podem ser abertas. Ou quando uma face de um desaparecido é identificada, é acionado automaticamente a central da polícia.  

O Defense IA começou a ser desenvolvido há cinco anos e hoje é utilizado por diversas prefeituras, bancos, indústrias, supermercados, hospitais e escolas, que usam o sistema para gerenciar os vídeos, com analytic e as catracas de entrada e saída das pessoas. Hoje é oferecido como licença e é simples de instalar e configurar.  

“Num hospital consigo monitorar o estacionamento, sabendo qual veículo pela leitura de placas, identificar as pessoas tanto por câmeras quanto por controle de acesso nas catracas e saber quantas pessoas estão no hospital e em quais ambientes e realizar uma gestão de pessoas que não estão permitidas. É possível identificar pessoas informando características físicas e roupas”, exemplifica Santos. (Carmen Nery) 

 

Avatar photo

Colaborador

Artigos: 330