Orange e Masmovil se juntam para formar maior telecom da Espanha

Fusão aguarda posicionamento dos órgãos reguladores da União Europeia para concretização. Negociações começaram em março.
Crédito: Freepik
Crédito: Freepik

A Espanha terá sua maior empresa de telecomunicações com a união de Orange e Masmovil se as duas empresas conseguirem autorização para uma fusão. O valor do acordo gira em torno dos US$ 19 bilhões.

As negociações haviam sido anunciadas em março. O acordo inclui gatilho para possível oferta inicial de ações e também funciona para testar a disposição dos reguladores da União Europeia em permitir a consolidação.

A nova empresa assumirá a forma de uma joint venture 50-50%, co-controlada pela Orange e Masmovil. A transação está sujeita à aprovação das autoridades antitruste e deve ser concluída até o segundo semestre de 2023.

O acordo inclui o direito de desencadear uma oferta pública inicial sob certas condições para ambas as partes após um período definido e também uma opção para a Orange assumir o controle da entidade combinada ao preço do IPO, de acordo com o comunicado.

A nova empresa combinada poderá acelerar os investimentos em conexão de fibra e 5G, disseram as duas parceiras. Há potencial para que atinjam pelo menos 450 milhões de euros anuais até o quarto ano após o fechamento do acordo.

Golpe

Um acordo entre a Masmovil e a Orange é um golpe para a Telefónica, e a Vodafone, antes apontada como a candidata mais provável a combinar ativos com a Masmovil. Mas enquanto a Orange tem a segunda maior rede de fibra óptica do país, a maior parte da banda larga da Vodafone é oferecida por cabo, dificultando as sinergias.

A Orange é a segunda operadora no mercado de telecomunicações da Espanha, atrás apenas da Telefónica, com a Vodafone como a terceira maior operadora. A Masmovil, a quarta participante, pertence a três fundos de private equity: Cinven Ltd, KKR & Co e Providence Equity Partners LLC.

Desde a aquisição pelos fundos, a Masmovil adquiriu outra empresa de telecomunicações espanhola, a Euskaltel, e tem aumentado a sua presença em Portugal. Já é um grande cliente atacadista da Orange, tanto em fibra quanto em redes móveis.

O acordo será apoiado por um pacote de dívida de 6,6 bilhões de euros, que financiará um pagamento de 5,85 bilhões de euros aos acionistas da Orange e da Masmovil em favor da Orange para refletir diferentes níveis de endividamento, de acordo com o comunicado. Este pacote é composto principalmente por dívida bancária, fornecida por um grande grupo de bancos. A dívida existente da Masmovil permanecerá em vigor (com agências internacionais).

Avatar photo

Da Redação

A Momento Editorial nasceu em 2005. É fruto de mais de 20 anos de experiência jornalística nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e telecomunicações. Foi criada com a missão de produzir e disseminar informação sobre o papel das TICs na sociedade.

Artigos: 10506