Apollo Global e JB Capital devem entrar na disputa pela Vodafone Espanha

Estima-se que fundos de investimento apresentem proposta de 5 bilhões de euros pelo ativo; Zegona Communications também já demonstrou interesse pela subsidiária do grupo britânico
Fundos de investimento devem apresentar proposta pela Vodafone Espanha
Sede da Vodafone Espanha, em Madri; fundos de investimento devem apresentar proposta pelo ativo (crédito: Divulgação/Vodafone)

Os fundos de investimento Apollo Global Management e JB Capital devem apresentar uma proposta conjunta para aquisição da Vodafone Espanha. A oferta pela subsidiária do grupo britânico de telecomunicações deve girar em torno de 5 bilhões de euros (aproximadamente R$ 27 bilhões), conforme informações divulgados pelo site “Mobile World Live”.

As especulações sobre uma proposta de compra da Vodafone Espanha surgem poucas semanas depois de a empresa de investimentos Zegona Communications ter confirmado que estava em negociações pelo ativo. Em nota, o fundo tinha destacado que estava tentando levantar fundos com bancos para formalizar uma proposta de aquisição.

A Apollo Global Management é uma empresa norte-americana de private equity. Já a JB Capital Markets atua na Espanha como empresa independente de valores mobiliários e de negociação de ações. No primeiro semestre deste ano, veículos de imprensa, como a “Bloomberg”, já haviam sinalizado que a Apollo Global tinha interesse nos negócios da Vodafone na Espanha – o ativo, no entanto, era estimado em 4 bilhões de euros (R$ 21,67 bilhões).

O futuro da Vodafone Espanha tem sido objeto de especulações, principalmente, na imprensa europeia. Executivos do grupo de telecomunicações já se mostraram preocupados com o alto nível de concorrência no mercado espanhol.

A CEO da Vodafone, Margherita Della Valle, já manifestou que a empresa deve passar por uma revisão de sua estrutura durante o seu mandato. Inclusive, a unidade espanhola foi mencionada como um dos alvos do plano de reestruturação.

A Vodafone Espanha tem sede em Madri e atua nos mercados de fibra óptica, telefonia móvel e TV por assinatura. A subsidiária foi fundada em 2000, como resultado do processo de fusão de ações detidas pelo Grupo Vodafone, pela British Telecommunications (BT) e pela Airtel Móviles.

Avatar photo

Eduardo Vasconcelos

Jornalista e Economista

Artigos: 855