Oi venderá energia renovável para clientes corporativos

Operadora fechou parceria com a geradora 2W Energia; serviço permitirá que empresas migrem o consumo de eletricidade para o mercado livre de energia
Oi passa a comercializar energia renovável a clientes empresariais
Em parceria com a 2W, Oi venderá energia renovável (crédito: Freepik)

A Oi anunciou, nesta quinta-feira, 20, que assinou contrato com a 2W Energia para ofertar energia proveniente de fontes renováveis a seus clientes corporativos. A comercialização ocorrerá por meio do mercado livre de energia, ambiente no qual grandes demandantes de eletricidade podem negociar preço e quantidade do insumo.

A parceria com a 2W, que conta com uma base de mais de 500 unidades consumidoras, é o primeiro contrato da operadora no ramo de energia.

Na prática, o negócio permite que a Oi venda eletricidade a seus clientes empresariais cujas instalações sejam classificadas como média ou alta tensão. Dessa forma, por meio da operadora, as empresas poderão migrar o consumo de energia para o mercado livre e abastecer suas sedes e estabelecimentos com fontes renováveis.

Segundo a operadora, a relação com a base de clientes de serviços de telecomunicações será um diferencial para viabilizar a oferta de energia em um contexto de maior dinamismo do setor elétrico.

“Seguindo a estratégia de criação de novas frentes de receita, pretendemos gerar mais valor para nossos clientes e, ao mesmo tempo, pavimentar novas avenidas de crescimento para a Oi”, diz, em nota, Rogerio Takayanagi, vice-presidente de Novas Receitas da tele.

A aquisição de eletricidade no mercado livre de energia pode gerar uma redução de até 15% na conta de luz de pequenos e médios negócios, de acordo com a 2W Energia.

A empresa especializada em geração de energia renovável destaca que a parceria deve facilitar o acesso ao seu produto, uma vez que a Oi usará os seus canais de venda e a sua marca para divulgar as ofertas.

“Nos Estados Unidos e em outros países, já vemos as telefônicas venderem TV, internet, celular e energia. Trouxemos para o Brasil essa possibilidade de parceria, entendendo que as telefônicas têm uma base enorme de clientes para os quais podemos oferecer os nossos serviços”, declara Eduardo Portelada, diretor de Relações com Investidores da 2W.

Conforme a legislação vigente no Brasil, somente pessoas jurídicas podem comprar energia elétrica no mercado livre.

Avatar photo

Da Redação

A Momento Editorial nasceu em 2005. É fruto de mais de 20 anos de experiência jornalística nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e telecomunicações. Foi criada com a missão de produzir e disseminar informação sobre o papel das TICs na sociedade.

Artigos: 10578