Oi contrata BTG Pactual para negociar suas ações na B3

Banco exercerá a função de formador de mercado, ficando responsável pelas negociações das ações ordinárias e preferenciais da tele na bolsa; contrato tem validade de 12 meses
BTG será responsável por negociar as ações da Oi na B3
BTG fica responsável pelas ações da Oi na B3 (crédito: Freepik)

Em fato relevante divulgado ao mercado nesta sexta-feira, 22, a Oi informou que contratou o BTG Pactual para exercer a função de formador de mercado responsável por suas ações ordinárias e preferenciais em negociação na B3, a bolsa de valores brasileira.

“O contrato com o Novo Formador de Mercado tem como objetivo fomentar a liquidez das ações ordinárias e preferenciais de emissão da Companhia e vigorará pelo prazo de 12 (doze) meses, a contar de sua celebração, prorrogável automaticamente por períodos iguais”, diz a Oi, em trecho do documento.

O acordo é passível de resilição (distrato por manifestação de vontade de qualquer parte) ou rescisão (extinção em caso de infração) a qualquer tempo. O BTG iniciará as atividades de formador de mercado da Oi na próxima terça-feira, 26.

De acordo com informações disponíveis no site da B3, o formador de mercado é uma pessoa jurídica, devidamente cadastrada na bolsa, que se compromete a manter oferta de compra e venda de forma regular e contínua durante a sessão de negociação. Ainda deve fomentar a liquidez dos valores mobiliários e facilitar os negócios, além de mitigar movimentos artificiais de preços.

No mesmo comunicado, a Oi disse que, no momento, possui 580.061.065 ações ordinárias (OIBR3) e 15.589.619 ações preferenciais (OIBR4) em circulação de sua emissão.

A operadora ainda destacou que “possui capital pulverizado, sem controle definido”, de modo que “não existem contratos ou acordos entre acionistas controladores e o Novo Formador de Mercado regulando o exercício do direito de voto ou a compra e venda de valores mobiliários de emissão da Companhia”.

Vale lembrar que, no segundo semestre deste ano, a Oi realizou sucessivos leilões de ações na B3, com o objetivo de elevar os preços dos papéis até o valor mínimo exigido pela bolsa.

Neste semana, a companhia, que entrou em sua segunda recuperação judicial ainda no primeiro trimestre de 2023, informou que reformulou um acordo de empréstimo com credores. Com isso, cancelou um financiamento que tinha tomado com o BTG, sem a aplicação de multa por parte do banco.

Avatar photo

Eduardo Vasconcelos

Jornalista e Economista

Artigos: 713