Nauro Scheufler sai do Serpro e assume diretoria técnica da Telebras

Ele é a quarta substituição promovida pelo governo Lula na diretora da estatal.

Crédito: Fotolia

O novo diretor Técnico-Operacional da Telebras, Nauro Luiz Scheufler, foi empossado hoje, 9, em reunião extraordinária do Conselho de Administração da empresa por Maximiliano Martinhão, secretário de Telecomunicações e presidente do Conselho. Ele entra no lugar de  Luis Fernando de Freitas Assumpção, que ocupava  o cargo desde setembro de 2021 em seu segundo mandato (anteriormente, ocupou a cadeira entre dezembro de 2018 e fevereiro de 2019).

Nauro Luiz Scheufler possui graduação e mestrado em Engenharia Elétrica e MBA em Telecomunicações. Desde 1984, atuou no Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) como engenheiro de rede, gerente de projetos de Engenharia de Rede e Data Center, coordenador da infraestrutura de TIC da diretoria de Operações, e também foi encarregado pela coordenação de Governança de TI do órgão. Até assumir a diretoria Técnico-Operacional da Telebras, nesta quarta-feira, Nauro Scheufler atuava na área de especificações e contratações de Serviços e Produtos de Tecnologia do Serpro.

Também conduziu diversos projetos de infraestrutura de serviços estruturantes da Administração Pública Federal, como: SIAFI, SISCOMEX, RECEITANET, SIAPENET, COMPRASNET, INFOVIA Brasília, Rede Comep (RnP), Rede Brasil.gov (Anatel) dentre outros.

Esta é a quarta indicação na diretoria da estatal promovida pelo governo Lula. A primeira aconteceu em abril deste ano, quando foi trocada a diretoria administrativo-financeira e foi indicada Tatiana Miranda. O presidente, Frederico de Siqueira Filho, assumiu em maio. Antes dele, também em maio foi indicado o diretor de governança, Luiz Fernando Ferreira da Silva.

O cargo de diretor Comercial, ocupado atualmente por Marcos Bafutto, que está no posto desde março de 21 é o único que falta para ser ocupado por indicação do novo governo.

A Telebras deixou o programa de privatização em junho deste ano. O conselho do Programa de Parcerias e Investimentos (PPI) recomendou a exclusão do Programa Nacional de Desestatização da Empresa Brasileira de Correios (ECT),  da Telecomunicações Brasileira (Telebras), do Centro Nacional de Tecnologia Eletrônica Avançada (Ceitec), do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), da Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência (Dataprev) e da Empresa Brasil de Comunicação (EBC). As exclusões têm o apoio dos ministros das pastas supervisoras das empresas.

As estatais foram incluídas no Programa Nacional de Desestatização no governo passado. O Ceitec, estatal de semicondutores, era o que estava em processo de liquidação mais avançado, mas foi barrado por cautelar do Tribunal de Contas da União (TCU).

 

Avatar photo

Da Redação

A Momento Editorial nasceu em 2005. É fruto de mais de 20 anos de experiência jornalística nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e telecomunicações. Foi criada com a missão de produzir e disseminar informação sobre o papel das TICs na sociedade.

Artigos: 10690