Mob Telecom e Wirelink unem-se sob nova presidência

A Mob Telecom e a Wirelink passam a se fundir em uma única operadora, e assume como CEO Sérgio Ribeiro, ex-Sky.
Sérgio Ribeiro (de camisa branca, na primeira fila), é o novo CEO.

As operadoras Mob Telecom e Wirelink,  depois de adquiridas pelo fundo EB Capital, passam por processo de fusão e ganham nova presidência. A Holding Alloha Fibra anunciou hoje, 26, a indicação de Sérgio Ribeiro como CEO da companhia. Ribeiro integrou a direção da Sky Brasil, como COO e vice-presidente. Salim Bayde e Adriano Marques CEOs e fundadores respectivamente da Mob Telecom e Wirelink irão integrar o conselho de administração da empresa.

Para consolidar esse processo de transição, o CEO da Alloha, Alexandre Moshe, e o fundador do fundo EB Capital, e presidente do Conselho de Administração da holding, Pedro Parente, estiveram em Fortaleza, onde era a sede das duas empresas durante a concretização da operação de fusão.

“A Mob teve resultados expressivos em 2021, com crescimento de 294%. O legado é muito grande  construído”, afirmou Bayde ao Tele.Síntese. O executivo frisou ainda que a ida de Ribeiro à direção da empresa é um novo marco para  a profissionalização da companhia. Adriano Marques, por sua vez, ressaltou que, agora, ficará mais focado à atuação estratégica da empresa.

Ribeiro ressaltou que “o grupo tem uma atuação muito forte junto ao público B2C no Norte e Nordeste do Brasil e uma atuação relevante junto ao B2B nacionalmente. Temos um foco grande no crescimento orgânico e vamos capturar as principais oportunidades de crescimento inorgânico”.

Balanço Mob

Conforme as demonstrações de resultados depositadas na CVM, o grupo encerrou 2021 com  receita operacional líquida de R$ 131, 57 milhões da controladora (ante a R$ 61,5 milhões de 2020) e com receita líquida de R$ 250,9 milhões do consolidado, versus R$ 61,5 milhões de 2020.

O lucro líquido antes dos impostos deu um grande salto entre 2020 e 2021. O lucro do consolidado alcançou R$ 49,1 milhões, frente a R$ 1,735 milhão de 2020. O lucro da controladora também foi expressivo: de R$ 32,88 milhões.

No ano passado, a Mob Participações incorporou três provedores: a Fortel Fortaleza Telecom, a Tix Telecomunicações e a ISW Provedor de Internet.

Avatar photo

Miriam Aquino

Jornalista há mais de 30 anos, é diretora da Momento Editorial e responsável pela sucursal de Brasília. Especializou-se nas áreas de telecomunicações e de Tecnologia da Informação, e tem ampla experiência no acompanhamento de políticas públicas e dos assuntos regulatórios.
[email protected]

Artigos: 2219