Meta lança Llama 3, nova versão da sua IA de código aberto

Modelo chega em dois pacotes, um com 8 bilhões e outro com 70 bilhões de parâmetros; LLM será integrado ao Meta AI, um assistente usado em aplicativos da big tech
Meta lança Llama 3, nova versão da sua IA generativa
Llama 3 chega com código aberto e será integrado a redes sociais da Meta (crédito: Freepik)

A Meta apresentou, nesta quinta-feira, 18, o Llama 3, a nova versão da sua Inteligência Artificial (IA) generativa de código aberto. Entre outras aplicações, o grande modelo de linguagem (LLM, na sigla em inglês) será utilizado para aprimorar o Meta AI, um assistente de IA que está sendo integrado aos aplicativos da companhia.

Em linhas gerais, o Llama 3 chega em dois modelos de linguagem pré-treinados, um com 8 bilhões de parâmetros e outro com 70 bilhões de parâmetros (variável que indica a capacidade de a IA realizar tarefas).

Em comunicado, a Meta indicou que os modelos Llama 3 estarão disponíveis em breve em plataformas como AWS, Databricks, Google Cloud, Hugging Face, Kaggle, IBM WatsonX, Microsoft Azure, Nvidia NIM e Snowflake. A IA também terá suporte a sistemas de hardware de AMD, AWS, Dell, Intel, Nvidia e Qualcomm.

Segundo a companhia, o Llama 3 ainda deve ganhar novos recursos, como janelas de contexto mais longas e tamanhos de modelos adicionais.

“Estamos adotando o ‘espírito’ do código aberto ao lançar de forma antecipada e frequente para permitir que a comunidade tenha acesso a esses modelos enquanto eles ainda estão em desenvolvimento”, diz a big tech, em nota. “O nosso objetivo num futuro próximo é tornar o Llama 3 multilíngue e multimodal, ter um contexto mais longo e continuar melhorando o desempenho geral em todos os principais recursos do LLM, como raciocínio e codificação”, acrescenta.

Integração com redes sociais

A Meta também informou que, com o apoio do Llama 3, o assistente virtual Meta IA teve suas funcionalidades aprimoradas. Integrado ao Facebook, Instagram, WhatsApp e Messenger, o recurso é capaz de sugerir passeios, fazer pesquisas na internet e criar conteúdos.

Até então disponível apenas nos Estados Unidos, a solução está sendo expandida para Austrália, Canadá, Gana, Jamaica, Malawi, Nova Zelândia, Nigéria, Paquistão, Cingapura, África do Sul, Uganda , Zâmbia e Zimbábue. Ainda não há informações sobre quando o recurso chegará ao Brasil.

Vale lembrar que, no campo da IA, a Meta não tem se limitado a modelos de linguagem – a empresa também tem uma ferramenta capaz de traduzir textos falados e escritos para diversos idiomas. Na semana passada, a gigante de redes sociais apresentou a segunda geração do seu chip de IA para acelerar as cargas de trabalho que dependem da tecnologia.

Avatar photo

Eduardo Vasconcelos

Jornalista e Economista

Artigos: 851