Mercado prevê queda na inflação de 2022 e alta em 2023

O mercado financeiro prevê queda na inflação de 2022, de 7,11% ante 7,15%. Já para 2023 passa de 5,33% para 5,36%, segundo boletim Focus.

 

Mercado prevê queda na inflação de 2022 e alta em 2023 - Crédito: Freepik
Crédito: Freepik

Pela sexta semana consecutiva, o mercado financeiro prevê queda na inflação de 2022, ficando em 7,11% ante 7,15% da semana passada. Os dados são do boletim Focus, divulgado nesta segunda-feira, 8, pelo Banco Central.

Para a inflação em 2023, as expectativas do mercado vão no sentido contrário, passando de 5,33% para 5,36%. É a décima oitava semana que os economistas entrevistados pelo Banco Central projetam alta para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a inflação oficial do Brasil.

Apesar da queda, a expectativa da inflação de 2022 se mantém acima da meta estipulada pelo Conselho Monetária Nacional (CMN), que tem como centro 3,5%, podendo chegar a 5% com o intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual.

Para 2023 e 2024, as metas do CMN são de 3,25% e 3%, respectivamente, com o mesmo intervalo de tolerância.

Produto Interno Bruto

O mercado financeiro projeta alta para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) também pela sexta semana consecutiva. A expectativa desta semana é de crescimento de 1,98% para o PIB em 2022. Há um mês, o mercado previa o crescimento do PIB neste ano em 1,59%.

Para 2023, no entanto, as expectativas para a atividade econômica do país foram mantidas em 0,40%. Para 2024, a previsão para o crescimento do PIB manteve-se em 1,70%.

Taxa de juros

A expectativa do mercado financeiro para a taxa básica de juros, a Selic, permanece em 13,75% para o fim de 2022 pela sétima semana. Para 2023, a perspectiva ficou em 11%. Em 2024, a projeção dos juros permanece em 8%.

Câmbio

Já a previsão projetada para o dólar foi mantida em R$ 5,20 para 2022 e 2023. Para 2024, a perspectiva é que a cotação do dólar feche o ano em R$ 5,10.

 

Avatar photo

Redação DMI

Artigos: 1771