Ligga traça plano de ação para reverter prejuízo até 2025

A operadora paranaense Ligga Telecom acumula prejuízos em 2023, ante lucros de 2022. Com isso, elaborou plano de ação para enxugar custos e acelerar sinergias obtidas com fusões de Sercomtel e Nova Fibra.

A paranaense Ligga Telecom, resultante da união entre a antiga Copel Telecom, a Sercomtel e a Nova Fibra, publicou na última semana seu resultado do 3º trimestre de 2023, em que registrou prejuízo de R$ 7,5 milhões. No mesmo período de 2022, a companhia registrava lucro de R$ 12,6 milhões. E avisa que traçou um plano para reverter as perdas, com previsão para ter resultados até 2025.

Divulgação do nome Ligga Telecom em evento.
Lançamento da marca Ligga Telecom, em março de 2022 (Crédito: Divulgação)

No relatório, a Ligga informa quais providências está tomando para reverter os prejuízos. “A Companhia e sua controlada continuam realizando iniciativas de ajustes operacionais, ganhos de eficiência e contínua melhora de sua estrutura de capital objetivando retomar sua lucratividade em 2023, revertendo, ao longo dos próximos dois anos, a situação de prejuízo líquido consolidado apurado no período findo em 30 de setembro de 2023”, explica.

As principais ações para melhorar o resultado da Companhia e sua controlada são:

  • Modernização da rede;
  • Estratégia de marketing focada, desenvolvendo posicionamento da marca e servindo como ferramenta para crescimento das vendas;
  • Melhor capacitação dos prestadores de serviço de instalação, bem como criação de equipes próprias de alto rendimento;
  • Reavaliação de contratos com fornecedores e prestadores de serviço em geral, buscando maior sinergia de custos e melhor nível de entrega;
  • Modernização de plataforma sistêmica, melhores controles internos (SAP4) e melhor agilidade e confiabilidade na relação com clientes (SalesForce);
  • Implementação de novos produtos geradores de receita no portfólio de produtos, voltado tanto ao mercado B2C como B2B.

“A administração da companhia entende que as ações acima relacionadas, são suficientes para garantir a continuidade das operações”, afirma no documento. O material data de 14 de novembro, antes da mudança de comando anunciada ontem pela empresa, com saída do CEO Adeodato Volpi e reeleição de Wendell de Oliveira.

A empresa teve aumento das receitas em 16,5%, para R$ 169,16 milhões no terceiro trimestre de 2023. Mas ampliou as despesas operacionais em 47%, para R$ 51,2 milhões. O resultado financeiro negativo também aumentou, foi a R$ 26,26 milhões, ante o negativo de R$ 7,78 milhões do mesmo período de 2022.

Considerando os nove primeiros meses do ano, a Ligga registrou receita líquida de serviços de R$ 387,4 milhões, crescimento de 23,2%. Mas as despesas operacionais cresceram mais rapidamente, e foram de R$ 136 milhões, contra R$ 84,8 milhões um ano antes. Com isso, no período entre janeiro e setembro deste ano, a companhia soma um prejuízo de R$ 39 milhões. Na mesma época de 2022, teve lucro de R$ 15,27 milhões.

Avatar photo

Rafael Bucco

Artigos: 4245