Iniciativa 5G de olho nos lotes nacionais do leilão 5G

ISPs reunidos na Iniciativa 5G Brasil têm como plano criar uma rede nacional móvel capaz de competir com as operadoras celulares já estabelecidas no país

A Iniciativa 5G Brasil, que já reúne 370 integrantes segundo seu diretor executivo, Rudinei Gerhart, vai entrar no leilão 5G para obter licenças nacionais de espectro. O executivo falou ontem no evento Talk Show, realizado pelo Tele.Síntese.

Ele reiterou o que o movimento vem demandando em Brasília, junto ao Congresso, ao Governo e à própria Anatel, de que o leilão precisa ter suas regras modificadas para ter mais isonomia e promover de fato a entrada de novos competidores.

Nas últimas semanas, representantes do grupo visitaram gabinetes e mesmo o ministro das Comunicações, Fábio Faria, para pedir a criação de um lote que aglutine a fixa de 700 MHz nacional e uma faixa também nacional de 3,5 GHz. Os ISPs consideram que só dessa forma podem garantir uma cobertura em todo o Brasil. Para governo e Anatel, no entanto, isso atrasaria o leilão.

“A grande maioria das operadoras móveis regionais sucumbiram. Olhando para esse histórico, temos a percepção de que operar regionalmente é impossível. Operar frequência regional em voz e dados é um risco. Então o nosso interesse é entrar em frequências nacionais. A gente olha o 700 MHz e o 3,5 GHz nacional, pois não é possível na disputa regional dar lances para todas as regiões. No 2,3 GHz pode-se entregar envelopes para todas as regiões, mas a competição será bem maior. Então estamos estudando todas as frequências, a de 700 MHz com muito afinco, e a de 26 GHz para entrega FWA e enlaces em cidades onde não chega a fibra”, contou.

Avatar photo

Rafael Bucco

Artigos: 4234