Fundos de investimento têm resgate de R$ 18,1 bi

Os fundos de investimento apresentaram resgates líquidos de R$ 18,1 bilhões entre os dias 2 e 5 de maio, segundo relatório da Anbima.
Fundos de investimento têm resgates de R$ 18,1 bi - Crédito: Freepik
Crédito: Freepik

Os fundos de investimento apresentaram resgates líquidos de R$ 18,1 bilhões entre os dias 2 e 5 de maio, segundo relatório semanal da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima). O número é referente a diferença entre os R$ 169,7 bilhões de aportes e R$ 187,8 bilhões de resgates durante o período.

Os fundos de renda fixa tiveram resgates de R$ 23,2 bilhões influenciados pelas retiradas de três fundos, que somaram R$ 17,6 bilhões de saques. Os fundos de ações também tiveram saídas líquidas de R$ 1,1 bilhão, assim como os ETFs (Exchange Traded Funds) com R$ 670,4 milhões e os cambiais com R$ 67,5 milhões.

Enquanto isso, os FIDCs (Fundos de Investimento em Direitos Creditórios) fecharam a primeira semana do mês com saldo positivo de R$ 5,1 bilhões. Esse resultado foi influenciado pelo movimento concentrado de um único fundo, responsável pelo aporte de R$ 4 bilhões.

Os multimercados também tiveram a captação líquida positiva, impactada pelo aporte de único fundo de R$ 1,1 bilhão, resultando no saldo líquido de R$ 1,2 bilhão.

Já os de previdência e FIPs (Fundos de Investimento em Participações) registraram saldo líquido positivo de R$ 268,8 milhões e R$ 252,2 milhões, respectivamente.

Ao longo do ano de 2022, a indústria acumula captação líquida positiva de R$ 66,2 bilhões.

A indústria de fundos de investimento registrou captação líquida acumulada de R$ 46,1 bilhões no primeiro trimestre deste ano, uma queda de 56,9% em comparação com o mesmo período de 2021. Dos últimos cinco anos, o início de 2022 só não foi pior do que os três primeiros meses de 2020.

Dentre as classes, os de renda fixa foram responsáveis, de longe, pelo resultado positivo, com R$ 109 bilhões de captação. Os multimercados e de ações tiveram pior desempenho, com resgates líquidos de R$ 41 bilhões e R$ 31,9 bilhões, respectivamente. Os multimercados tiveram captação líquida negativa pela primeira vez nos últimos cinco anos. Já os fundos de ações tiveram saída em 2021, que se repetiu neste início de ano.

(Com assessoria)

Avatar photo

Redação DMI

Artigos: 1782