Fundo de Desenvolvimento Tecnológico e Agência Espacial perdem muito no orçamento deste ano

Os recursos para o FNDCT cairão 45%; da AEB, 30% e do Funttel, 24%. O FUST não tem qualquer previsão orçamentária.

No orçamento do Ministério da Ciência Tecnologia e Inovações aprovado hoje, 16, pela Comissão Mista do Congresso Nacional duas foram as unidades que mais perderam recursos em comparação ao ano de 2020, chegando a fazer com que o relator setorial, deputado Silas Câmara (Republicanos – AM) afirmasse que “a situação é muito grave para algumas unidades”.

O Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – FNDCT foi o que  mais perdeu – queda de 45,16%. Passou de R$ 930,2 milhões gastos no ano passado para a previsão de R$ 510,1  milhões em 2021 (isso sem levar em conta a Reserva
de Contingência).

Também, a Agência Espacial Brasileira – AEB teve seus recursos orçamentários diminuídos em 30,21%, com perdas aproximadas de R$ 58,7 milhões de reais. Finalmente, a Comissão Nacional de Energia Nuclear – CNEN começará o ano de 2021 com seu orçamento
10,61% menor do que os valores empenhados no ano 2020.
Ministério das Comunicações

No Ministério das Comunicações, o Fust – Fundo de Universalização das Telecomunicações – está sem qualquer previsão orçamentária e o Funttel, Fundo de Desenvolvimento das Telecomunicações também registra uma queda grande: de 24,44%, quando poderá contar com apenas R$ 13,6 milhões, contra R$ 18 milhões do ano passado.

Leia aqui a proposta orçamentária aprovada:

relatorio-da-area-tematica-XI

 

Avatar photo

Miriam Aquino

Jornalista há mais de 30 anos, é diretora da Momento Editorial e responsável pela sucursal de Brasília. Especializou-se nas áreas de telecomunicações e de Tecnologia da Informação, e tem ampla experiência no acompanhamento de políticas públicas e dos assuntos regulatórios.
[email protected]

Artigos: 2221